Fale Conosco

Por mais complicada que uma coisa seja, ela pode ser realizada/concretizada desde que treinemos o suficiente para tal. O mesmo vale para a preparação para concursos. Assim, desde que não desistamos, sempre aprenderemos algo novo, acrescentaremos informações e competência para alcançarmos nosso resultado.

Às vezes, no entanto, a tarefa parece enorme e inalcançável, como um quebra-cabeça. E, como para a montagem desses, existem técnicas que podem facilitar muito as coisas para quem está se preparando para estudar. A começar por olhar o todo.

Olhe o todo

Para montar um quebra-cabeça, primeiro, é preciso saber o que se está montando. Para isso é necessário olhar a imagem que será montada. Na preparação, ver o todo também é importante. Você consegue fazê-lo conferindo o sumário da disciplina a ser estudada.

Dessa forma, você consegue visualizar o todo da matéria e como ela se desenrola do mais simples e amplo para o mais difícil.

Não se assuste

Quando começamos a montar o quebra-cabeça, todas as peças embaralhadas e sem sentido aparente podem causar pânico. A tarefa parece impossível, interminável. Trata-se de um sentimento que varia de acordo com o tamanho do quebra-cabeça e da intimidade com a tarefa.

O estudo também pode assustar, a princípio, especialmente para quem não tem o hábito de estudar, mas basta começar –com técnica e organização – que você começa a ver os resultados.

Comece pelas bordas

As primeiras coisas que você deve montar, em um quebra-cabeça, são as bordas, os limites. Ao fazer isso, você consegue ter uma ideia melhor da dimensão do desafio. No estudo, delimitar as bordas é estudar os fundamentos, os princípios norteadores de cada matéria.

Os primeiros passos demoram um pouco mais, mas quanto mais você pratica, mais rápido chegam e mais evidentes se tornam.

Sempre revise

No estudo e no quebra-cabeça, uma peça bem encaixada (aprendida) viabiliza o encaixe de muitas outras, mas, até se tornar basilar, ela será consultada muitas vezes, por isso revisões são tão importantes. É a maneira de retomar aquela peça que ficou para trás e tentar criar as conexões com as que ainda virão.

Fonte:Uol