Fale Conosco

A médica Tatiana Medeiros formalizou nesta terça-feira (26), no Ministério Público da Paraíba (MPPB), uma denúncia contra os fura-filas da vacinação de Campina Grande. Na semana passada, a médica e ex-secretária Municipal de Saúde do município, divulgou em suas redes sociais e também denunciou, por meio dos canais do Ministério Público, casos de desrespeito a ordem prioritária de vacinação contra a Coovid-19, fatos que ganharam bastante repercussão em toda a Paraíba.

Segundo Tatiana, antes de formalizar presencialmente a denúncia no MPPB, ela já havia feito três denúncias de forma eletrônica. “Hoje eu reuni todas as denúncias e fui fisicamente protocolar”, relatou. A médica destacou que recebeu inúmeros casos de pessoas que furaram a fila das prioridades na vacinação contra a covid-19. “Eu tenho print de postagens. Hoje, as pessoas usam de forma indevida as redes sociais, às vezes não sabem nem que estão gerando provas contra elas. Foi exatamente o que aconteceu”, revelou.

Tatiana Medeiros informou ainda que, no primeiro protocolo, realizado de forma eletrônica, foram enviados cinco denúncias. No segundo, um e no terceiro outra. Somando, ao todo, sete denúncias. “E tem mais. Agora só estou encaminhando quando eu tenho informações a mais que me dão segurança para encaminhar, mas eu recebo diariamente uma enxurrada de denúncias. As pessoas estão extremamente preocupadas, porque logicamente estamos em uma pandemia, e o tempo urge, onde a vida se depara com a morte”, observou. 

Entre os denunciados estão pessoas jovens que não estão entre os grupos prioritários e que trabalham em locais que não lidam diretamente com pacientes doentes com o novo coronavírus. “São pessoas que receberam empregos por amizades na parte administrativa de uma UPA que ainda não foi selecionada para receber as doses. A gente não tem dose suficiente nem para 50% dos profissionais de saúde”, ressaltou. A médica comentou sobre a importância de que todos sejam vacinados, mas frisa a importância de se respeitar a fila e os critérios.

Escute a declaração de Tatiana Medeiros na íntegra:

Repercussão – A vereadora de Campina Grande, Jô Oliveira, informou à imprensa na semana passada que também recebeu denúncias sobre o assunto e enviará um ofício ao secretário de Saúde pedindo explicações. ”Mesmo que seja mentira, ele precisa vir a público explicar isso”, comentou.

A promotora do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Adriana Amorim, que atua na área da saúde de Campina Grande, disse que está acompanhando o plano de vacinação em todo o estado e, em Campina Grande, foi instaurado um procedimento para acompanhar se o plano de vacinação está sendo seguido, e as prioridades obedecidas. ”Caso seja comprovado que pessoas que não estejam nos grupos prioritários tomaram a vacina, poderão ser tomadas providências contra gestores, servidores e quem tiver tomado a vacina indevidamente”, disse a promotora.