Fale Conosco

Percebam como as vezes é o adversário quem escala o seu próprio contraponto. Conversei com o deputado federal Veneziano Vital em março sobre a sucessão em Campina e ele estava reticente com a tese de que deveria se candidatar a prefeito.

Passados poucos meses, ele mesmo manda recado avisando oficialmente que vão lhe enfrentar nas urnas. O que motivou essa guinada? Chamado para o ringue, o galo de briga afia a esporas e vai pra cima.

Veneziano estava propenso a apoiar outro nome e o único apelo para que fosse candidato era do irmão VItal, que avaliava que se ele não disputasse a prefeitura de Campina, chegaria menor ao cenário de 2018.

E chegamos na convenção do PMDB, realizada sábado último, onde ele foi eleito presidente do diretório municipal, com um Veneziano candidatíssimo e maior do que era em março.

Tudo por ter sido cutucado e inflado pelos adversários com a violência da operação “Última Bala” que, como já diz o nome, é o último recurso deflagrado pelos aliados de Romero para evitar que ele retome ao Palácio do Bispo.