Fale Conosco

A sexta amanheceu com a PF nas ruas da Capital e logo  percebeu-se um certo assanhamento de setores da mídia, julgando e condenando antes dos esclarecimentos oficiais.

É que há uma diferença entre investigação e condenação com processo transitado em julgado.

É que o brasileiro anda tão desencantado com a política e a opinião pública tão marcantemente rejeitando quem suja as mãos que basta a notícia para macular currículos e projetos.

Como tudo transita a jato nas redes sociais e cada segmento da política tem os seus robôs pra espalhar versões e os cães de guarda pra amplificar os fatos, aceleram as conclusões e conjecturam situações.

Semana passada a bola da vez foi a suposta lista de codificados, arremessada na boa performance da gestão Ricardo Coutinho, e hoje chegou a vez de potencializarem fatos contra a operosa gestão Cartaxo, uma coisa meio Tom & Jerry.

Há de fato uma situação de precarização nos mais de oito mil prestadoras de serviços do estado. Há de fato uma investigação a partir de denúncias da CGU acerca da possibilidade de superfaturamento das obras da Lagoa.

O governador diz que a oposição procura cabelo em ovo e que tá tudo sendo regularizado, mas que o número de desempregados aumentaria muito caso o MP bote pressão pra ele demitir esses milhares de pais e mães de família, além de inviabilizar a máquina pública, pois trabalham em hospitais, escolas e outras áreas fundamentais.

O prefeito da Capital diz que sempre colaborou com as investigações e que essa operação da PF não é contra a sua gestão, conforme nota oficial que publico abaixo.

Nota de esclarecimento

A Procuradoria e a Controladoria Geral da Prefeitura de João Pessoa, a respeito da Operação da Polícia Federal deflagrada na manhã desta sexta-feira (02/06), esclarece que:

– A Prefeitura não é alvo da Operação realizada hoje, mas vem contribuindo, desde o início das investigações, com o repasse de todos os documentos e informações necessárias.

– A gestão acompanhou, espontaneamente, com o intuito de colaborar com as autoridades, de todas as perícias realizadas pelos órgãos de controle, a exemplo da Polícia Federal (PF) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

– Em relação à referida investigação, a gestão apura todos os fatos com transparência e rigor, apoiando o trabalho feito pela PF.

– A gestão municipal está confiante no esclarecimento dos fatos e reforça o seu compromisso com a lisura dos processos adotados, ressaltando que o Novo Parque da Lagoa já foi entregue e vem sendo plenamente utilizado pela população.

Dércio Alcântara