Fale Conosco

Sérgio Camargo, presidente da Fundação Cultural Palmares, usou seu perfil nas redes sociais nessa segunda-feira (10), para escrever despautérios sobre a classe jornalística. Segundo ele, jornalistas estariam defendendo traficantes porque são usuários de cocaína. O homem rebatia uma publicação feita pelo jornal Folha de S. Paulo.

A reportagem citada por Camargo mencionava a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que classificou os mortos na operação policial na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, de “traficantes que roubam, matam e destroem famílias”.

A generalização feita por Bolsonaro que inclui no mesmo rótulo as vítimas de Jacarezinho é feita por Sérgio Camargo. Só que ele acusa e mediocriza os jornalistas, que apenas estão fazendo o seu trabalho, ao dizer que a “defesa” dos traficantes é motivada pelo fato de serem usuários de drogas, mas precisamente cocaína.

Para acusar alguém precisamos de provas. Isso vale para o presidente, para Camargo e para todos. O que eles chamam de “defesa de traficantes” é visto como apuração jornalística. É preciso ter responsabilidade com o que se fala.

Veja o que o presidente da Fundação Cultural Palmares escreveu:

“Trabalhei quase trinta anos em algumas das maiores redações de São Paulo. Parcela significativa dos jornalistas é usuária de cocaína. A defesa ferrenha e incondicional que fazem de traficantes pouco ou nada tem a ver com o interesse público. Se é que me entendem…”.