Fale Conosco

O governo de São Paulo anunciou hoje que já encaminhou à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) estudos preliminares da CoronaVac com o objetivo de agilizar o processo de obtenção do registro do imunizante. A vacina contra a covid-19 é desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac e tem previsão de começar a ser aplicada em profissionais da saúde a partir de dezembro.

Em entrevista coletiva realizada no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) disse que assim a CoronaVac já pode começar a ser analisada pela Anvisa, mesmo ainda sem ter concluído os estudos de fase 3, que comprovam a eficácia da vacina.

“O governo do estado de São Paulo registrou na Anvisa documentação da vacina CoronaVac para a análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e obtenção do seu registro. A Anvisa recebeu pela plataforma digital criada para agilizar o registro das vacinas. Os primeiros documentos foram enviados pelo Butantan”, afirmou Doria.

Ontem, a Anvisa anunciou que iniciou as primeiras análises de outro imunizante contra a doença causada pelo novo coronavírus e que vem sendo testado no Brasil. A vacina desenvolvida em parceria entre a Universidade de Oxford, no Reino Unido, e a farmacêutica britânica AstraZeneca submeteu documentos para análise assim como a CoronaVac.

“A meta é permitir que possamos agilizar dentro dos protocolos científicos e da Anvisa, que possamos iniciar a imunização dos brasileiros em São Paulo e outros estados”, explicou Doria.

Os documentos enviados à Anvisa neste momento fazem parte de um processo de análise preliminar que ainda não avalia o resultado final dos testes de eficácia. O procedimento chama “submissão contínua” e estuda os dados dos testes conforme eles se tornam disponíveis, agilizando assim o eventual registro da vacina posteriormente.

Dimas Covas, diretor do Butantan, também esclareceu o processo. “A Anvisa estabeleceu um fluxo contínuo. Os documentos podem ser enviados à Anvisa à medida que são criados, isso tem o objetivo de facilitar a análise dos técnicos da Anvisa e permite que não haja atraso nesse processo que é tão importante”, disse.

UOL