Fale Conosco

O Mirante Portal do Sol recebeu mais de 700 apoiadores e militantes que acompanharam, nesta quarta-feira (16), a convenção que homologou a candidatura de Ruy Carneiro à prefeitura de João Pessoa e de Zé Gadelha como vice.

No evento, Ruy Carneiro ressaltou sua ação junto às causas e entidades sociais e pontuou que a população mais carente precisa de uma gestão que tenha compromisso em dar oportunidade e oferecer serviços de qualidade a todas as regiões de João Pessoa.

“Alguns me conhecem pelo trabalho que faço para as pessoas com câncer no Hospital Laureano. E estes sabem que estou preparado para fazer as transformações que a saúde de João Pessoa precisa. Mas quem não me conhece vai poder conhecer o trabalho que eu realizo para milhares de famílias em situação de pobreza através de entidades sociais e de saúde, como a APAE, Vila Vicentina, Padre Zé, São Vicente e tantas outras”, afirmou Ruy Carneiro.

Ele comentou ainda que o eleitor não aguenta mais candidatos reciclados e investigados por crimes de corrupção. “Temos o desafio de evitar que o jogo sujo do uso da máquina pública interfira no resultado da eleição. Esse ano será uma disputa sobre quem fez e quem não fez por João Pessoa, mas também entre ficha limpa e os palanques da corrupção”, alfinetou.

A declaração foi uma reação de indignação ao anúncio da candidatura de Ricardo Coutinho na Capital. Coutinho chegou a ser preso recentemente acusado de desviar mais de R$ 134 milhões da saude do Estado, após ser denunciado com farto material de provas, inclusive gravações.

“A candidatura de Ricardo é o retrato da impunidade e um absurdo que envergonha toda a Paraíba”, afirmou Ruy. “Ricardo traiu covardemente a confiança da população após comandar um verdadeiro saque nos cofres da saúde. Desviou recursos para bancar campanhas de seu partido e fraudar as eleições no Estado, inclusive a última, do atual governador”, denunciou.

“Não vamos permitir que os palanques da Polícia Federal ocupem o poder na nossa cidade. São palanques que devem prestar contas à polícia e à Justiça”, defendeu Ruy. “A população amadureceu e já não aceita mais a roubalheira que esse grupo instalado no governo do Estado promoveu nos últimos anos”, acrescenta.