Fale Conosco

Uma denúncia muito grave foi veiculada, na tarde desta sexta-feira, 17, no guia eleitoral da Coligação A Vontade do Povo, que tem o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) como candidato a governador. Presidiários do regime semi-aberto e integrantes do Programa O Trabalho Liberta, do Governo do Estado, estão sendo usados na campanha de rua do governador Ricardo Coutinho (PSB), que disputa a reeleição. A reportagem flagrou homicidas condenados a dezenas de anos de reclusão distribuindo panfletos nas ruas de João Pessoa. Vários outros grupos de detentos, diariamente, fazem o mesmo trabalho em outras cidades do Estado.

Segundo o guia de Cássio, desde o início da campanha, vêm se multiplicando as denúncias sobre pressão e ameaças sobre servidores públicos para o engajamento na campanha do atual governador. Agora, destaca o programa, se comprovam com um agravante: além de prestadores de serviços, o governo está utilizando presos para fazer a campanha do governador. “Eles são coagidos para distribuírem panfletos e adesivos nas ruas”, revela o guia, observando que os detentos deveriam trabalhar no Detran, mas são desviados de seu trabalho na repartição para fazer campanha.

A panfletagem, de acordo com o que mostra o guia eleitoral, acontece todos os dias e começa logo cedo. O grupo de presidiários incluídos no programa de ressocialização vai para as ruas segurar bandeiras e distribuir material de propaganda do candidato Ricardo Coutinho. E com um detalhe: panfletos e adesivos da candidata à reeleição, presidente Dilma Rousseff, também faz parte do pacote “preso-cabo-eleitoral”.

Apresentando imagens flagradas em João Pessoa, notadamente no bairro de Mangabeira, o guia apresenta três exemplos de apenados  na campanha do governador:  Arlindo Odilon de Maria, condenado a 18 anos de prisão por latrocínio (roubo seguido de morte); Durval Mariano Arcoverde, que cumpre 55 anos por latrocínio, homicídio e roubo qualificado, além de Manoel Nunes Pereira, que foi sentenciado pela Justiça a cumprir 16 anos de detenção por homicídio.

 À medida em que apresentou os presos, o guia eleitoral exibiu a ficha de cada um dos detentos que estão sendo desviados do programa de ressocialização para integrar uma iniciativa polêmica na campanha de Ricardo Coutinho. E com um detalhe ainda mais escandaloso: só depois da panfletagem por coerção, os presos vão cumprir sua carga de trabalho no Detran.

VEJA O VÍDEO