Fale Conosco

Quando uma coisa volta com insistência aos seus ouvidos pode ter certeza que alguma procedência tem e o ar que se respira no âmbito da Auquidiocese paraibana é carregado e a paisagem lá dentro é cinzenta de tantos pontos de interrogação que se formaram.

Não à toa o médico e religioso Assuero Gomes redigiu lá do Recife uma carta destinada aos católicos do Nordeste, onde faz apelos à recomposição do sagrado aqui na Arquidiocese paraibana, conforme publico abaixo.

“CARTA AOS IRMÃO DA IGREJA NA PARAÍBA

Aos irmãos e irmãs leigos que vivem sua fé na Igreja da Paraíba e dão exemplo de virtude e perseverança na sã doutrina, toda Paz e toda Graça. Aos presbíteros e diáconos dessa mesma e amada Igreja Paz e Perseverança.

E eis que ouvi o clamor que chega da Igreja da Paraíba e contei as lágrimas da Senhora das Neves. Eis que suplico às irmãs que estão em Guarabira, Campina Grande, Patos e Cajazeiras, que se cubram de cinzas e chorem sobre as lágrimas da Senhora, decretem um tempo de luto e oração.” Suplico às irmãs que estão em Maceió, em Palmeira dos Índios e em Penedo que abram os ouvidos e os olhos para o lamento que vem da Paraíba, pois o corpo sofre as dores de quem foi violentado na sua dignidade de filho de Deus. Suplico às irmãs que estão em Natal, Mossoró e Caicó que não sejam mornas nem míopes, pois quando uma parte do corpo sofre todo corpo padece, abomino os omissos.

Suplico às dez irmãs que estão em Pernambuco, Petrolina, Salgueiro, Floresta e Pesqueira, ainda em Garanhuns, Caruaru e em Palmares, em Nazaré e Afogados da Ingazeira que cuidem, ajudem e se indignem, e especialmente à Igreja que está em Olinda e Recife, pois foi na hora da agonia que da Paraíba tiveste mais ajuda! É hora de acolher e acalentar, pois somos solidários na alegria e solidários na dor.

Abateu-se e solidificou-se como numa noite tenebrosa, que tarda tanto a passar, sobre a Paraíba, uma alcateia vestida de pastores que escandaliza o rebanho. As pedras de moinho estão postas e as cordas estiradas, a mão do Senhor já paira sobre eles. Rezemos para que o tempo se abrevie, pois por muito menos os Borgias foram condenados na fogueira da História.

Suplico aos cristãos todos dessas igrejas que se unam em oração, para que não percamos nenhum desses pequeninos; e que suas reações frente aos escândalos sejam de um discernimento tal, que só o dom Espírito permite, que separem o joio dos maus pastores do trigo do qual é feito o Pão. Permita que a fé nos garanta que as portas do inferno jamais prevalecerão sobre a Igreja, que mesmo sofrendo todo tipo de assédio do Mal, toda perseguição e todo mau exemplo sairá vitoriosa e lavada nas vestes puras do Cordeiro.

Rogamos a Maria, mãe nossa e de todos os cristãos, que interceda sempre e cada vez mais, para que possamos não perder nenhum dos pequeninos, prediletos de seu Filho e que encurte o tempo de sofrimento dessa querida Igreja da Paraíba.

Assim como anuncia a profecia de Ezequiel, ai dos pastores de Israel que apascentais a vós mesmos, não devem os pastores apascentar as ovelhas? Assim como anuncia Jeremias, Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR.

Portanto assim diz o Senhor Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o Senhor. E ainda da boca do próprio Jesus: O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. O mercenário, que não é pastor e não é dono das ovelhas, vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e foge, e o lobo as ataca e dispersa. Pois ele é apenas um mercenário e não se importa com as ovelhas.

Pior quando o lobo é o próprio pastor.

Irmãos e irmãs que estão na Igreja da Paraíba, como uma vela acesa diante do sacrário seja nossas orações dia e noite pela paz, harmonia e benignidade nas vossas vidas, e que um tempo novo de conciliação surja numa nova página do Livro onde está assentada a palavra da vida dessa igreja tão querida e que vive e sobrevive sob a proteção maternal de N. Sra. das Neves.

Assuero Gomes

Cristão Católico Leigo

Da Arquidiocese de Olinda e Recife

[email protected]