Fale Conosco

Quem será o candidato a prefeito de Pombal na coligação encabeçada pelo PMDB? A medida que a eleição municipal se aproxima essa pergunta ganha força e cinco nomes despontam entre os mais citados.

O primeiro nome é o da maior liderança individual da cidade, o médico Doutor Verissinho, espécie de pai da pobreza da Terra de Maringá, que já foi prefeito, tem a paixão popular a seu favor e controla o PMDB, cujo número 15 tem bom recall. A única coisa que pode lhe tirar do páreo é um impedimento jurídico, o que ainda está sendo analisado por seus advogados, pois na lista dos inelegíveis de 2014 ele não constou e até podia ter concorrido a uma cadeira de deputado. E dessa ainda dúvida sobre Verissinho derivará as outras possibilidades que exponho a seguir

Na seqüência lógica aparece o nome da esposa de Verissinho, Mayenne, que por duas vezes foi ao sacrifício pelo grupo, quando se confrontou com a atual prefeita Pollyana. Na primeira sabia que era impossível pelo apelo da morte do ex-prefeito Jairo, marido da candidata Pollyana. Na segunda tentativa, apesar de lançada de última hora, e, mesmo lutando contra três máquinas, quase levou, perdendo por apenas 153 votos.

O terceiro nome é o da nova liderança cidade, o empresário Galego da Gavel, que foi vice de Mayenne, conquistou a simpatia de uma parcela significativa do eleitorado e tem sido lembrado para encabeçar a chapa. Fiel a Verissinho, Galego fecha com o consenso do grupo e tem vaga garantida na vice, deixando para outro momento a cabeça de chapa.

O quarto nome é o do vereador mais votado no último pleito, Marcos Bandeira, irmão de Mayenne e cunhado de Verissinho, que em rodas políticas descarta essa possibilidade, mas também nunca disse dessa água não beberei. Fiel ao grupo, fecha com o que for consenso.

Outro excelente nome é o do médico Geraldinho, do PSDB, atual vice de Pollyana, rompeu com ela e desde a eleição para governador se aproximou do PMDB e hoje integra a oposição. No entanto, ele não pode disputar na condição de vice de Verissinho ou Mayenne, mas a legislação lhe permite, por não ter assumido a titularidade, ser cabeça de chapa.

Quem será o candidato das oposições, sinceramente não sei. Mas, sinto que daí sairá uma chapa imbatível, pois o grupo político que está no poder se esgotou pela seqüência de 12 anos à frente da Prefeitura de Pombal e o povo quer mudança.