Fale Conosco

Um projeto do deputado federal Wilson Santiago Filho (PMDB-PB) vem ganhando força e mobilizando toda a sociedade paraibana e deve também ser estendido a todos os estados do país, visando o combate ao uso de drogas, especialmente o crack, que se popularizou rapidamente, vicia completamente ao primeiro contato e tem sido motivo de diversos crimes cometidos por jovens e adolescentes em todo o Brasil. No Congresso Nacional Wilson Filho é o primeiro vice-presidente da Comissão de Políticas Públicas contra o Crack e outras Drogas.

A idéia pioneira do parlamentar é reunir todos os seguimentos sociais de cada cidade paraibana para ouvir sugestões, depoimentos e medidas que podem e devem ser adotadas contra o uso de drogas e, além disso, traçar um perfil do usuário e da situação e com base nisso, ao final do trabalho, elaborar um relatório completo do problema para que ele sirva de ponto de partida para que finalmente haja uma prática efetiva no combate às drogas. “Já se falou demais sobre o caso. Tudo o que havia de ser dito já foi dito. Agora é hora de agir, caso contrário essa situação não vai mudar nunca”, afirma o deputado, que terá um orçamento em torno de R$ 4 bilhões para usar como arma no combate as drogas.

Seguindo essa linha de trabalho Wilson Santiago Filho esteve na manhã desta quinta-feira (15) participando de audiência pública na Câmara Municipal de Campina Grande, onde tem no vereador Olimpio Oliveira (PMDB) um parceiro do projeto. Eles convocaram a igreja, seguimentos da educação, da polícia, da saúde, da política, da Justiça e todos os demais para participar do debate sobre o caso. Antes o parlamentar já havia percorrido as cidades de João Pessoa, Sousa, Conceição e Princesa Isabel e nesta sexta-feira estará na cidade de Catolé do Rocha, indo neste sábado para Soledade e na segunda para Monteiro, sempre com o mesmo ideal. Já há pedidos de realização das audiências para as cidades de Guarabira, Pombal, Mari, Santa Rita, Itaporanga, Queimadas e outras.

Bastante elogiada por outros parlamentares e especialistas que lutam contra as drogas, a proposta batizada como ´Acorda Paraiba. Diga Não às Drogas´, do deputado Wilson Filho, vem ganhando força e deve se expandir para todos os estados brasileiros. Os números já mostram que a origem das drogas que hoje afligem o Brasil tem como base principal os países Peru, Bolívia e Colômbia. Na Paraíba os dados são alarmantes e mostram um efeito devastador: 98% das cidades registram o uso de drogas, envolvendo um universo superior a 60 mil usuários.

De acordo com o que disse o deputado Wilson Filho, o trabalho tem como base três pilares importantes: prevenção, ressocialização e repressão. Entretanto ele considera que a prevenção, com base em campanhas educativas, é o principal alvo a ser alcançado, “pois o jovem que tem pleno conhecimento dos males causados pelas drogas não vai querer isso para sua vida nem para sua família, já que a droga apenas não atinge o viciado, mas afeta também todos os familiares e as pessoas que o cercam”. Resgatar os valores da vida e familiares também são metas da campanha.

EM CAMPINA GRANDE  – Atendendo pedido do vereador Olimpio Oliveira a Câmara Municipal de Campina Grande realizou nesta-quinta o primeiro Ciclo de Debates: Crack e Outras Drogas – Construindo Uma Rede para o Enfrentamento. O debate contou com a participação do secretário de Ação Social do Município, Robson Dutra que na oportunidade representou o prefeito de Campina Grande; do 1º vice-presidente da Comissão de Combate ao Crack e Outras Drogas, deputado federal Wilson Santiago Filho; o promotor da infância e juventude, Herbet Targino; o superintende de Polícia Civil, delegado Wagner Dorta; o representante do Bispo Diocesano, padre Sérgio Leite; o presidente do Conselho de Políticas Públicas sobre Drogas, major Adeilton Clemetino da Silva; o presidente do CDL, Hilton Mota Filho; membro do Conselho Estadual Antidroga, pastor João Pereira que  na oportunidade representou o Governo do Estado e a secretaria municipal de saúde Tatiana Medeiros.

Participaram ainda Conselhos de Segurança e Conselhos Tutelares, professores, técnicos em educação, delegados de policia civil, CRAS, CAP “s, centros de recuperação e instituições que trabalham no combate as drogas e alcoólicos anônimos. Olímpio Oliveira ocupou a tribuna da Câmara Municipal para pedir mais ação por parte dos Poderes Executivos nas campanhas de combate ao uso de drogas. O parlamentar apresentou dados alarmantes, que apontam que 63% dos jovens em idade escolar estão fora das salas de aulas e vulneráveis à criminalidade. “O combate às drogas só terá eficiência se também existir o combate ao álcool” completou.

O debate envolveu todos os convidados e vereadores presentes e teve o objetivo aproveitar a oportunidade em o governo federal anunciou recentemente a política sobre drogas e também mobilizar a sociedade campinense em torno da temática com finalidade de construir uma Rede Social de Enfrentamento as Drogas no Município.