Fale Conosco

O deputado estadual Anísio Maia (PT-PB) acusou na manhã de hoje o procurador Abelardo Jurema Neto de ter sido tendencioso na decisão sobre a não constitucionalidade da Audiência Pública que traria o empresário Daniel Gonçalves à Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Segundo Anísio, o procurador participou de uma manobra juntamente com o deputado estadual Edmilson Soares, que presidiu a mesa durante a sessão ordinária na manhã de hoje.

“Infelizmente uma manobra da presidência da mesa arquitetada em conjunto com o procurador da casa impossibilitou a audiência pública prevista para hoje. Não tenho meias palavras. Quero deixar claro que não estou atacando ninguém, estou dizendo o que penso. Ele praticou uma manobra e seu parecer foi tendencioso. Não vamos admitir isso. Ele tem que trabalhar para os 36 deputados, mas, neste momento trabalhou apenas para dois ou três”, afirmou o petista.

Anísio Maia disse também que esta ação do procurador o levará a suspeitar das próximas. “A partir de hoje vou olhá-lo com suspeita. Vou esperar que ele se recupere. Pois, o procurador é a pessoa que zela pela aplicação do regimento da casa. Ele tinha que orientar como realizar corretamente, mas seu parecer foi para detonar a Audiência Pública proposta por Aníbal Marcolino. Este parecer é tendencioso”, revelou.

Para ele, a manobra aconteceu porque alguns deputados da base governista ficaram desesperados diante da ameaça da opinião pública tomar conhecimento das graves denúncias que o empresário tem para fazer. Anísio lembrou ainda que, assim como o ex procurador da Casa, Cecílio da Fonseca Ramalho Terceiro, o novo procurador também poderá sair devido a sua atuação no exercício da função.