Fale Conosco

O procurador geral de João Pessoa, Geilson Salomão, se disse surpreso com a ação civil movida pelo Ministério Púbico contra a prefeitura de João Pessoa, depois que o prefeito Luciano Agra renovou o contrato para distribuição de merenda escolar com a empresa SP Alimentação, acusada de fraude em licitações.

O procurador disse que prefeitura renovou o contrato depois de um pedido do prefeito, já que as aulas começaram e não houve um novo processo de licitação. “O prefeito fez esse pedido porque não poderíamos começar as aulas sem merenda”, disse Geilson.

Essa empresa é conhecida nacionalmente por participar de fraudes com administrações municipais e estaduais em todo o país, inclusive os donos da empresa foram presos no Rio Grande do Sul, já que foi comprovado o desvio e a fraude da empresa em parceria com a administração de Porto Alegre.

O esquema funcionava assim: a prefeitura ou governo escolhia a empresa numa suposta licitação e a empresa posteriormente repassava parte do valor do contrato para contas particulares dos gestores. O dinheiro era usado também para financiar campanhas eleitorais.

Agora eu pergunto: Qual será a razão que motivou o prefeito de João Pessoa a renovar esse contrato? Será que Luciano não tinha conhecimento do calendário escolar para ter feito licitação em tempo?