Fale Conosco

A vereadora Raíssa Lacerda (PSD), o vereador Marcos Antônio (PPS) de João Pessoa e a servidora pública Flaviane Ramalho prestaram queixa, na noite de ontem, terça-feira (30), no Distrito Integral de Segurança Púbica (DISP), após serem agredidos por militantes do PSB na saída do debate promovido pela TV Cabo Branco/Paraíba.

Em contato com a reportagem do PB Agora a vereadora Raíssa Lacerda (PSD) explicou como tudo aconteceu. Ela informou que ao sair do Sistema foi interceptada por militantes do PSB, que furaram o bloqueio feito pela polícia e começaram a agredi-la a chutes, socos e ponta-pé e ainda agressões verbais.

Segundo a vereadora, ela e a servidora Flaviane Ramalho só não foram mais agredidas porque foram salvas pela ação da polícia e do vereador Marcos Antônio (PPS), que ao perceberem a agressão entraram no tumulto para apaziguar os ânimos exaltados.

Marcos Antônio chegou a ser xingado com palavras de baixo calão como traidor, vendido, bandido, entre outros.

O trio fez o Boletim de Ocorrência e o exame de corpo de delito no IML, onde foi constatado a agressão. Flaviane Ramalho teve lesão corporal grave, já a vereadora Raíssa Lacerda sofreu uma lesão corporal leve no braço esquerdo.

“Eu quero parabenizar o trabalho da polícia que interveio e evitou que algo de pior acontecesse conosco, eles foram bastante solícitos, não só na emissora, no momento do tumulto como também na delegacia de plantão”, falou.

Raissa ainda lamentou que a campanha eleitoral tenha chegado a esse ponto, o do desepero.

“Nada justifica uma agressão física como estas”, lamentou.

Também em contato com a reportagem do PB Agora o vereador Marcos Antônio lamentou o episódio e disse que entrou literalmente na briga após perceber a agressão de um grupo de militantes contra apenas duas mulheres.

“Não fui agredido fisicamente, apenas verbalmente, entrei no tumulto após ver duas pessoas inocentes sendo agredidas, eu não podia me omitir, mas graças a Deus e a ação da Polícia Militar, que agiu rápido, tudo foi resolvido, sem maiores desdobramentos”, relatou.

O parlamentar também lastimou o fato de a campanha estar se encaminhando para o nível do desespero. Ele também aproveitou para negar os boatos de que teria agredido, em outro momento, o governador Ricardo Coutinho (PSB).

“Isso não existe, jamais teria capacidade para agredir fisicamente seja quem for, quem me conhece sabe do meu temperamento e sabe que eu não seria capaz”, desabafou.

Veja fotos:

Debate agressão01

Debate agressão02

PBAgora