Notícias

PMJP ganha dois prêmios nacionais em Foz do Iguaçu por obras de reurbanização da Comunidade do ‘S’

João Pessoa foi destaque nacional novamente. Desta vez, na área de habitação. A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) ganhou dois prêmios pelas boas práticas com sua obra de infraestrutura de resgate e reurbanização da Comunidade do ‘S’, no bairro do Roger, que vai retirar 438 famílias de áreas de risco e de alta insalubridade. A premiação aconteceu na tarde desta quarta-feira (10), durante o encerramento do Congresso Brasileiro de Habitação Social e Agentes Públicos de Habitação, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

O primeiro prêmio destaque foi o ‘21 de agosto’, criado para estimular e divulgar os projetos mais relevantes dos estados, municípios e demais entidades no âmbito da habitação de interesse social. O prêmio foi concedido pelo Ministério das Cidades, ONU e Habita, com uma banca de julgadores de todo o Brasil.

O segundo prêmio entregue à Prefeitura Municipal de João Pessoa foi pela categoria ‘Voto Popular’. Nele, as pessoas que estavam participando do Congresso Brasileiro, entre agentes públicos, autoridades governamentais e não-governamentais, prefeitos e secretários de todo o país, também elegeram o projeto de reurbanização da Comunidade do ‘S’ como um dos melhores do Brasil.

“Eu estou muito feliz em representar a Prefeitura Municipal de João Pessoa no Congresso Brasileiro de Habitação Social e ainda sermos vencedores de dois prêmios tão importantes. Isso é resultado do empenho do prefeito Luciano Cartaxo na área de habitação social desde o início da gestão em 2013. A comunidade do ‘S’ é uma área de risco e que precisava de um projeto como este. Inclusive, as obras já começaram e seguem em ritmo acelerado”, ressaltou a secretária de Habitação de João Pessoa, Socorro Gadelha.

Comunidade do ‘S’ – O projeto da Prefeitura Municipal de João Pessoa de reurbanização da Comunidade do ‘S’, no bairro do Roger, vai retirar 438 famílias de áreas de risco e de alta insalubridade, oferecendo mais qualidade de vida para os moradores e proporcionando o desenvolvimento da comunidade. “Hoje, essas famílias moram às margens de um mangue e com condições precárias. Mas a Prefeitura de João Pessoa está disposta a mudar a realidade e o futuro dessas pessoas”, afirmou Socorro Gadelha.

A obra, orçada em R$ 7,3 milhões, está sendo realizada pela Secretaria Municipal de Habitação (Semhab). Na primeira etapa, estão previstos a construção da rede de esgoto e de água (ainda inexistentes), drenagem, pavimentação de ruas, construção de ciclovia, praça com quadras de esportes e anfiteatro, espaço para comércio, um galpão para a realização de atividades culturais, a caiçara dos pescadores (local para eles guardarem o material da pesca) e ainda toda a recuperação ambiental do local.

Em seguida, será construído o complexo habitacional que contará com 436 unidades, que serão construídas imediatamente ao final desta primeira etapa.

O Congresso – Realizado pelo Habita, o Congresso Brasileiro de Habitação Social e Agentes Públicos de Habitação reuniu gestores e representantes em esfera nacional, estadual e municípios que têm políticas e ações ligadas direta ou indiretamente à moradia social. O Congresso, realizado até esta quarta-feira (10) em Foz do Iguaçu (PR), abordou temas como Política Habitacional, Regularização Fundiária e Programas e recursos do Governo Federal.

Outros projetos – Desde 2013, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) realiza o maior programa habitacional já executado na Capital. Mais de sete mil famílias deixaram o aluguel, áreas de risco ou situação de vulnerabilidade social para viver em seu próprio lar. Com cerca de 30 residenciais entregues e outras unidades pulverizadas, a gestão municipal já conseguiu mudar a vida de quase 30 mil pessoas.

Tags: Tags: