Fale Conosco

Durante muito tempo a oposição foi enganada na Câmara de João Pessoa por um líder que só liderava sua própria lista de pleitos a quem devia combater. Hervázio era um embuste, mas sua máscara caiu e ele assumiu só agora que é da base governista.

Com a entrada de Fernando Milanez em cena a oposição volta a ter voz ativa e, apesar da inferioridade numérica, vai realmente incomodar e fazer a diferença. 

Diga-se de passagem, que Milanez também representa aquela corrente que defende o nome do ex-governador José Maranhão no topo da lista das opções que a oposição tem para ressurgir das cinzas vencendo a batalha pela Prefeitura de João Pessoa. 

Mas que isso, foi o primeiro a sair da Granja Santana dias após a derrota inesperada no pleito passado cantando essa pedra. 

“Maranhão não tem outra opção a não ser aceitar ser o candidato do PMDB e das forças de oposição a prefeito da Capital”, me disse horas depois de uma conversa com o próprio Maranhão. 

Faz sentido a estratégia do novo líder. São dois coelhos com uma cajadada. Tira de Ricardo sua vitrine e recupera a perspectiva de poder em médio prazo.

Sem a prefeitura Ricardo perde o parceiro rico e os pessoenses inteligentemente acederão duas velas para ver quem vai querer fazer mais pela cidade. “É uma concorrência necessária e saudável”, conclui Milanez. 

Agora só resta sabe se Manoel Júnior e Cícero recuam e aceitam o critério da melhor colocação nas pesquisas e, principalmente, capacidade de aglutinação que a candidatura de Maranhão representa. 

Aposto com qualquer que Lauremília Lucena é a vice que ninguém vai querer contestar, pois de ser a presença feminina, contempla Cícero e sela a aliança do PMDB com o PSDB. 

E o PT? Indicará, como já havia previsto, o vice na chapa encabeçada por Diogo em Campina, numa aliança entre PSDB-PT e PMDB.