Fale Conosco

Essa aconteceu essa semana na inauguração da sede própria do Sindicato dos Jornalistas e quem me contou foi um papa-capim, que se infiltrou no evento para beber água que passarinho não bebe.

Land Seixas, aquele que perdeu uma eleição para presidente do Sindicato dos Taxistas, mas ganhou várias no Sindicato dos Jornalistas e finalmente largou o osso, podia ter ficado calado, mas resolveu tagarelar e pisou na casca de banana.

Invocando uma independência que ninguém acredita, e na verdade ninguém suportava mais ser tratado como régua de pica numa diagramação de um projeto só dele, Land começou seu discurso de despedida dizendo que estava acima do bem e do mal, que não ia entrar nas brigas dos sistemas por audiência e que aquele sindicato não recebeu um tostão nem do Governo nem da PMJP para chegar àquela obra de pedra e cal, tudo que conseguiu em mais de uma década de mandatos.

Land podia ter evitado a cena seguinte, mas seu ego estava inflado demais para perceber que a secretária de Comunicação da Prefeitura de João Pessoa, Marly Lúcio, estava doida para fazer uma pequena correção e puxar-lhe a orelha.

Ao contrário do que Land se gabava, o Sindicato recebeu ajuda pública sim e, segundo a secretária lhe disse a queima roupa, esse apoio veio através do pagamento do coquetel de inauguração da nova sede do Sindicato.

Land, assim como todo mundo, tem lado. A diferença é que ele usa todo mundo para se promover e otimizar só o seu.

Cá pra nós, o piso que esse Sindicato negociou para a categoria é uma piada. 

Já vai tarde Land! Realmente, o que não serviu para taxistas também não serviu para jornalistas.

ERRATA: Erramos quando dissemos que quem puxou a orelha de Land foi Marly, na verdade foi sua representante, que neste momento estamos confirmando o nome.