Fale Conosco

Referenciado como caixa de ressonância da cidadania, nosso blog é visto pelo internauta como instrumento para fazer valer os seus direitos  ecoando denúncias via imprensa.

Tem sido assim desde que adquirimos endereço na internete e nos disponiblizamos a ser esta palmatória. Hoje, com cerca de 50 mil acessos diários e líder absoluto no segmento blog, incomodamos os poderosos e amplificamos a voz rouca das ruas. 

Do leitor Italo Patrucci Serrano recebo email que repercuto a seguir: 

“A Constituição Federal da República Federativa do Brasil, promulgada em 1988, em seu artigo 5°, inciso XV, assevera o seguinte: 

XV – é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens; 

Entretanto parece que certos grupos econômicos não entendem os ditames da nossa Lei Maior. O fato é que o grupo FIT que está atualmente construindo um condomínio no encontro na Av. Pedro II com a Rua José Severino Massa Spinelli na Torre adotou como prática corriqueira fechar a Rua com enormes veículos, impedindo a passagem dos motoristas e obrigando-os a optarem por duas escolhas: ou enfrentam a contra-mão da Pedro II, ou dão meia volta e fazem o percurso por dois quarteirões inteiros. 

O veículo fica por horas estacionado fechando a rua, já tentei conversar com um motorista uma vez e o mesmo foi tão agressivo comigo que tive que me identificar como Advogado, ameaçando chamar a polícia, só assim o mesmo moveu a carreta de 24 metros, e a estacionou em local apropriado. 

Esperamos que as autoridades tomem providências, pois está colocando em risco a integridade das pessoas que são obrigadas a se arriscarem na contra-mão, pois ficam impedidas de transitar no local. 

O poder econômico priva as pessoas de tantas coisas neste país, não é possível que nem nossa liberdade podemos ter preservada. 

Não é possível que um grupo do ramo de construção civil, com seus lucros de mais de 100% não possam disponibilizar local apropriado onde seus prestadores de serviço possam estacionar seus carros, ou ao menos se adaptem ao ritmo de vida dos moradores locais e façam seus transportes pela manhã cedo e não na hora de maior intensidade de movimentação. Aguardamos Providências. 

Italo Petrucci Serrano – OAB PB 15.790″ 

Taí a reclamação do cidadão e esperamos que a Pregeitura de João Pessoa adote medidas para coibir esse abuso. Se são tão valentes para retirar camelôs das ruas com seus bombados, será que terão coragem de mexer com cachorro grande?

Com a plavra o prefeito Luciano Agra…