Fale Conosco

A deputada federal Nilda Gondim (PMDB-PB) voltou a defender neste final de semana, quando se comemorou o Dia das Mães, uma participação mais efetiva da mulher na vida político-administrativa do País, dos seus Estados e dos Municípios. Em entrevistas concedidas a vários programas de rádio em Campina Grande/PB, ela afirmou que será candidata à reeleição para deputada federal e disse desejar ver a bancada paraibana composta por mais mulheres na próxima legislatura.

“Apesar de muitos comentários em sentido contrário, minha candidatura à reeleição está firme e será confirmada. E sabe porquê? Porque eu não serei candidata de primeiro mandato. Eu vou pleitear ao povo paraibano a minha reeleição. Vou submeter ao povo paraibano a decisão se devo ou não continuar representando o nosso Estado na Câmara Federal. Portanto, isso quem vai resolver é o povo, por meio do exercício democrático do voto”, enfatizou.

“Hoje – continuou a deputada – eu tenho um trabalho a apresentar, e estou prestando contas daquilo que estou fazendo com muita seriedade, muita ética, muito compromisso em favor da mulher, dos jovens, dos idosos, das crianças, das pessoas com deficiência, dos aposentados, dos estudantes… Enfim, em favor dos interesses de toda a sociedade paraibana e também da sociedade brasileira como um todo, tendo em vista o caráter nacional do nosso mandato”.

Nilda Gondim reforçou a determinação de se candidatar à reeleição para a Câmara Federal afirmando que a sua pretensão de continuar (com o apoio do povo paraibano) o trabalho que vem desenvolvendo no Congresso Nacional em nenhum momento trará problemas ao seu filho Veneziano Vital do Rêgo, pré-candidato ao Governo do Estado pelo PMDB.

E explicou porquê: “Eu tenho ética. Eu não invado área de ninguém. Pelo contrário, muitas pessoas é que invadem a minha área”.

Participação feminina – Ressaltando o caráter machista e controlador da sociedade contemporânea brasileira, onde os espaços para a mulher ainda são muito restritos, a deputada federal Nilda Gondim lamentou o fato de o Brasil figurar na 120ª posição no ranking da proporção de mulheres nos parlamentos, segundo recente estudo publicado no Portal da Câmara Federal e realizado pela União Interparlamentar, entidade ligada à Organização das Nações Unidas (ONU).

“Isso significa dizer que o Brasil está atrás de países islâmicos como Paquistão, Sudão e Emirados Árabes…”, comentou Nilda Gondim, que juntamente com as colegas deputadas federais Rosinha da Adefal, Jô Moraes, Elcione Barbalho e Gorete Pereira, e também com a senadora Ângela Portela, representou o Brasil no Fórum Global da Cúpula Anual das Mulheres no Parlamento (Women in Parlaments Global Fórum).

Realizado em Bruxelas, capital da Bélgica, em novembro de 2013, o evento reuniu parlamentares de mais de 100 países para debater o papel das mulheres nos parlamentos e na política.

“O fórum global representa uma ocasião para debater temas sobre a participação da mulher na política e questões sob o ponto de vista do sexo feminino, como remodelação da sociedade através da liderança feminina; poder feminino para a paz, segurança e integridade, e impacto de mulheres eleitas nos parlamentos”, explicou Nilda Gondim, salientando o compromisso de todas as participantes no sentido de estimular e viabilizar cada vez mais a presença efetiva da mulher nas instâncias de poder e de decisão em todos os recantos do mundo.

Atualmente, segundo a deputada paraibana, existe em todo o mundo apenas uma média de nove mil mulheres nos parlamentos. “Um número ainda muito pequeno, apesar de todas as importantes conquistas que vimos experimentando ao longo das últimas décadas”, comentou Nilda Gondim.

Na condição de presidente do PMDB Mulher da Paraíba, ela disse que vai continuar trabalhando para ampliar o Núcleo Feminino do partido e para despertar em cada mulher paraibana a certeza do relevante papel que elas exercem no processo político e democrático do Estado, dos municípios paraibanos e do País.

Consciência de valor – A bancada federal paraibana possui doze cadeiras na Câmara Federal e três no Senado da República, mas apenas uma mulher representa hoje a Paraíba no Congresso Nacional: Nilda Gondim. Para ela, a mulher paraibana precisa se conscientizar de que tem direito de ter vez e voto, e de que ela deve participar, ser inserida no contexto político, além do contexto social.

“A violência contra a mulher ocorre no Brasil todo, mas aqui na Paraíba a mulher está sendo ainda mais discriminada, violentada naquilo que ela tem de mais sagrado, que é o seu direito de cidadania e de vida. Na Paraíba há muita discriminação. Por isso lutamos para que as mulheres se conscientizem do valor e do poder que têm. Nós não queremos ocupar os espaços dos homens. Nós queremos ser parceiras dos homens. Queremos ter os mesmos direitos, os mesmos salários… Igualdade de gênero. É isso que nós queremos”, observou.