Fale Conosco

Uma ação impetrada pela Coligação Sou Patos (PT, PDT, PSol, MDB e Avante) quer que o candidato a prefeito pelo Patriotas, o juiz aposentado Ramonilson Alves, abra o seu jogo sobre uma suposta proposta indecente e criminosa que teria recebido ao lhe ofertarem R$ 500 mil pela vaga de vice.

O juiz tornou público a suposta tentativa de suborno, no programa Hora do Muído, do jornalista Jamerson Ferreira, transmitido ao vivo pelo Facebook, no dia 21 de julho de 2020, quando ainda era pré-candidato.

A ação atenta para o caráter omisso, conivente e negligente da postura do candidato que é advindo do judiciário. Ramonilson não denunciou oficialmente o crime que sofreu nem os criminosos.

Para os representantes da Coligação Sou Patos, denunciar crimes como esse que o juiz divulgou seria obrigação de quem militou e conhece os direitos e deveres da esfera jurídica.

“O senhor vai ter R$ 500 mil para fazer sua campanha – lembrando que quem oferece R$ 500 mil paga 1 milhão – mas o vice do senhor vai ser fulano, eu quero tal Secretaria de porta fechada e daqui a dois anos o senhor vai apoiar”, contou, no ar, Ramonilson sobre o suposto crime de tentativa de suborno.

O pior de tudo, conforme a coligação que ajuizou a ação, é que o juiz aposentado fez essas declarações almejando proveito político da situação e querendo aparentar um ar de bom mocismo por ter resistido à proposta criminosa.

“Essas coisas que falam da política, de corrupção, de fato existem, mas são seduções que você deve resistir. Para se ter uma ideia, eu já recebi nesta caminhada ofertas de apoio nos valores de R$ 200 mil, R$ 300 mil, R$ 500 mil reais”, disse o juiz no programa com transmissão ao vivo.

“Diante dos fatos, a Coligação Sou Patos, através do meio jurídico, quer que Ramonilson Alves cumpra seu dever e esclareça o que aconteceu à população de Patos apontando a autoria de tais atos criminosos na nossa política para que possamos ter um pleito com segurança e legitimidade”, disse o advogado Janderson Figueiredo, que representa a coligação.