Fale Conosco

Procuradores ainda reclamam da falta de respeito por parte das secretárias de Administração e Finanças

Doze procuradores do Estado entregaram um documento ao Procurador Geral do Estado, Gilberto Carneiro, solicitando exoneração dos cargos em comissão que ocupam.

O fato, segundo eles, é que o governo não cumpriu o acordo assinado em outubro de 2011, o qual garantia a criação de uma comissão que elaboraria estudo para implantação de um novo PCCR – Plano de Carreira, Cargos e Remuneração – da categoria. Eles também afirmam que foram desrespeitados pelas secretárias de Administração e Finanças, Livânia Farias e Aracilba Rocha, respectivamente.

Nesta quinta-feira passada, os procuradores se reuniram com as secretárias, e alegaram terem sido desrespeitados por elas. Também disseram que ainda tiveram que escutar uma “piadinha” do tipo: se estão inconformados, façam outro concurso, tendo alguns recebendo o apelido carinhos de “vagabundos”. Já que as secretárias disseram que parte dos procuradores não trabalhava.

A estrutura de trabalho cedida pelo governo realmente não está muito boa para os procuradores, pois eles também reclamam dos elevadores e cadeiras quebrados, apenas sete computadores funcionam para mais de 40 profissionais, falta papel, xérox, e o sistema de informática é precário. Cadeiras e elevadores quebrados, apenas sete computadores para mais de 40 profissionais, falta de papel, falta de xérox e precário sistema de informática”.

Apesar de toda essa “excelente condição de trabalho” oferecida, os procuradores ainda conseguiram importantes vitórias para o governo como, por exemplo, a manutenção da Cruz Vermelha no Hospital de Trauma de João Pessoa e no caso da greve do Fisco, entre outros.