Fale Conosco

Há um impasse na Câmara Municipal de São Bento por conta de um assunto que deveria ser publicado nas páginas policiais, mas que agora ganha espaço no noticiário político.

É que esquisitamente as sessões da Câmara estão sendo boicotadas pela bancada de vereadores de situação e a manobra objetiva proteger um colega que foi acusado de participação num esquema pesado de tráfico de drogas, citado e com mandado de prisão decretado na Operação Passaguá.

O nome do vereador suspeito de tráfico é João Dantas Clementino, mais conhecido como João de Ezequiel(foto), e ele sumiu da cidade desde dezembro do ano passado.

JoaodeEzequiel

Curiosamente, ele foi eleito vice presidente da Câmara e não compareceu à própria posse. Se é inocente ou culpado deixo para a Justiça. Esquisito é o seu sumiço após ser acusado.

Mais esquisito ainda é que se houver sessão vão ter que acabar cassando o vereador fujão e dando posse ao seu suplente, Rogaciando, do DEM, que não integra a base do prefeito Gemilton e isso geraria um risco para o tio do prefeito e ex-prefeito Galego de Sousa, pois suas contas foram rejeitadas no TCE e com um a menos podem ser rejeitadas também pela Câmara, tornando-o inelegível.

Pelo que entendi, os vereadores da situação querem boicotar todas a sessões até que se consiga um hábeas corpus para que o vereador João de Ezequiel possa retornar aos trabalhos.

Como o atual presidente da Câmara, Adaildo Dantas, sonha em ser o vice de Gemilton, manobra indefinidamente a protelação do reinício dos trabalhos do Legislativo e assim vai livrando a cara de João de Ezequiel e as contas de Galego de Sousa.