Fale Conosco

O governador João Azevêdo aproveitou o encontro com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, para pedir uma maior condução e responsabilidade na distribuição de vacinas – quando estiverem prontas para serem distribuídas. Apesar do elogio recebido pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão, quanto à postura do governador, João não se furtou a fazer críticas novamente ao governo de Jair Bolsonaro.

“Com todo respeito, faltou coordenação do governo federal para enfrentar e dizer: ‘tem que ser assim’. E todo mundo seguir junto naquela direção. Teria sido mais fácil para todo mundo. Não tenho dúvida. Essa discussão gerou problemas. Um estado fazia de um jeito. Outro, fazia de outro. E esse desencontro nos fez pagar um preço mais alto do que precisava. Agora, estamos diante de uma outra situação. E é o apelo que faço a vossa excelência para que leve isso ao presidente da República, para o ministro da Saúde… não vamos deixar que, primeiro, agora que precisamos de uma vacina, que seja feito da mesma forma que anteriormente”, criticou o gestor estadual.

João continuou afirmando que há estados que não terão condições de comprar sozinhos vacinas para “Estado tal que tem mais dinheiro está comprando vacina. O outro está fazendo convênio para comprar vacina e os outros? Essa é uma questão que a gente precisa entender claramente e que é papel sim do governo federal coordenar isso, puxar para si essa responsabilidade e o Ministério da Saúde dizer que vai comprar as vacinas tais e tais, as que forem comprovadas a sua validade, mas trazer a responsabilidade da condução do processo. Senão, poderemos correr o risco de ter fatos dentro do país que não levem a um resultado ideal”, concluiu o governador.