Fale Conosco

Pesquisa realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas da Paraíba (FCDL-PB) em parceria com o Banco do Nordeste (BNB), por meio do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), aponta que 63,1% dos consumidores da capital paraibana estão endividados e que apenas 10% estão com dívidas em atraso. 

O Perfil de Endividamento do Consumidor de João Pessoa, relativo aos últimos 13 meses, e é retratado através de uma pesquisa mensal, que apresenta diversos indicadores de endividamento dos consumidores, por sexo, faixa etária, nível de escolaridade e renda familiar. 

Em nível mais detalhado, a pesquisa destaca as mulheres como as mais endividadas com uma taxa de 65,1%. Por faixa etária, pessoas do sexo masculino de 35 anos ou mais concentram a maior taxa de endividados (66,3%). Por escolaridade, a pesquisa aponta que 69,7% dos endividados têm nível médio. 

Quando se trata de dívidas em atraso, o sexo feminino dispara com uma taxa de 20,6%. A faixa de idade com maior taxa de endividados é a de 35 anos ou mais  (21,1%); a faixa de escolaridade Ensino Fundamental é a que apresenta maior taxa de endividados: 25,9%.

A pesquisa mostra ainda que a taxa de comprometimento da renda familiar de quem está endividado ou com dívidas em atraso chega a 23,0%. O sexo masculino é o que compromete mais da sua renda com dívidas: 29,3%. A faixa de idade com maior taxa de comprometimento da renda é a de 25 a 34 anos: 29,3%. A faixa de escolaridade que mais compromete a renda é a ensino Fundamental: 30,4%. 

Em termos de inadimplência, o sexo Masculino possui maior taxa: 5,0%. A faixa de idade com maior taxa de inadimplência é a de 35 anos ou + : 4,9%. A faixa de escolaridade Ensino Fundamental é a que apresenta maior taxa de inadimplentes: 6,5%. Em termos de renda familiar, a maior taxa de inadimplência concentra-se em quem percebe acima de cinco salários mínimos: 6,3%. 

“Essa é uma pesquisa completa que detalha o nível de endividamento dos consumidores da capital. Os dados são importantes para o lojista planejar melhor suas vendas e até mesmo traçar estratégias de negociação das dívidas”, observa o presidente da FCDL/PB, José Artur de Almeida.