Fale Conosco

No tabuleiro do xadrez político existem muitas pedras. Umas decorativas, outras proativas. Mas só duas dentro do Legislativo municipal podem levar candidaturas ao segundo turno da eleição de prefeito e na seqüência à vitória.

Durval Ferreira, em João Pessoa, e Pimentel Filho, em Campina Grande, ambos presidentes das respectivas câmaras, vereadores de vários mandatos e com vontade de ascender ao jogo majoritário.

Pimentel Filho cabe, feito melé, em qualquer chapa, tanto na de Romero, substituindo Ronaldo Cunha Lima Filho, que caiu em desgraça e anda com o estopim de um grande escândalo à tiracolo, suspeito de ser sócio do tráfico de turmalina, quanto na de Veneziano, que hoje lidera todas as pesquisas como favorito.

Durval Ferreira leva para onde for grande parte da bancada e todo mundo sabe que chapa majoritária só decola se tiver um arco de aliança com chapa proporcional trabalhando na base. Ele também é um melé e tanto pode compor com o prefeito Luciano Cartaxo quanto com Manoel Júnior e Estela.

O que anima Durval e Pimentel é a chance real de assumirem os mandatos de prefeitos, pois caso sejam escolhidos como vices de Veneziano e Cartaxo, a chance de estes renunciarem para disputar o governo é grande.

Raposas felpudas da política das duas maiores cidades da Paraíba, ambos, é claro, dirão que estou especulando e que isso nem passa pela cabeça deles.

Mas, até nas entrelinhas dessa possível declaração, está camuflada a articulação que de quem vem comendo mingau pelas beiras. Já viram quem quer dizer que quer?

Pimentel e Durval operam sim pela vice. Só ainda não decidiram de quem.