Fale Conosco

A ex-presidente Dilma Rousseff incorporou-se à “caravana” que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva empreende por estados do Nordeste e participou, hoje, de um ato público promovido na cidade de Ipojuca, no Grande Recife, que acabou se transformando em manifestação contra a Operação Lava Jato. Dilma não poupou críticas ao juiz Sérgio Moro que condenou Lula e exortou os presentes à “resistência” contra os abusos de poder que estariam sendo praticados na atual gestão do peemedebista Michel Temer.

Entre petistas paraibanos especulou-se, hoje à tarde, sobre a possibilidade de Dilma prestigiar o roteiro de eventos do ex-presidente Lula em João Pessoa amanhã, quando deverá haver uma solenidade no Ponto de Cem Réis, no Centro, para a outorga do título de Cidadania Pessoense ao ex-mandatário. O título foi originalmente proposto pelo falecido vereador Júlio Rafael, que era filiado ao PT e nunca houve articulação para a entrega ao ex-presidente da República. Com a proximidade da sua vinda, agora, como parte da caravana que lidera, a propositura foi desengavetada e, por sugestão do próprio Lula, optou-se pela praça pública para a cerimônia. A direção estadual do PT não confirmou, porém, oficialmente, a incorporação de Dilma ao roteiro de Lula na Paraíba.

Comentando notícia publicada pela “Folha de São Paulo”, Dilma Rousseff estranhou a rapidez com que o processo movido contra o ex-presidente Lula tenha chegado à segunda instância, identificando uma manobra para tentar impedir uma possível candidatura do ex-mandatário em 2018. Se for condenado na segunda instância, Lula corre o risco de ficar inelegível para a disputa presidencial. O recurso tramitou com celeridade, cerca de 42 dias depois da sentença proferida por Sérgio Moro condenando Lula a nove anos de prisão, embora não tenha sido determinada a detenção dele. Dilma Rousseff salientou que seu recurso impetrado junto ao Supremo Tribunal Federal para anular o impeachment do seu mandato, por parte da Câmara dos Deputados, não tem tido andamento e não há prazo para que isto aconteça.

A ex-presidente atacou o que chamou de destruição de conquistas dos trabalhadores que está sendo executada pelo governo do presidente Michel Temer, prognosticando que a escalada continuará como parte da estratégia para impedir espaços de atuação dos petistas. “Nós temos que resistir a esse processo”, exortou Dilma Rousseff, dirigindo-se ao público que foi ver o ex-presidente. Para a ex-presidente, apesar das manobras eventuais operadas em diversas frentes, a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é muito forte no imaginário popular, pelos benefícios que ele carreou para a população nos dois mandatos exercidos.

 

Fonte: Os Guedes