Fale Conosco

Um delegado de Polícia Civil publicou em uma rede social ofensas direcionadas as mulheres do Partido dos Trabalhadores da Paraíba. “Mulher petista é mulher rapariga, safada, rodada, gostosa de transar e fácil de se apaixonar”, diz trecho da publicação feita por Francisco Azevedo, em fevereiro. O assunto veio à tona na manhã desta quarta-feira (3), e gerou repercussões na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) e, claro, por parte da sigla. Com uma linguagem chula, o delegado desqualifica as mulheres paraibanas. O PT já informou que irá denunciá-lo e buscar as medidas cabíveis. Confira publicação:

Ele relata que no passado teve convivência com núcleos do PT, e chegou a ser filiado a sigla. O delegado chega a dizer que o PT é mais que uma quadrilha. Azevedo destila ainda mais misoginia, ao falar sobre supostos detalhes íntimos de possíveis relações sexuais de forma pejorativa.

“Todas, sem exceção, não aceitam que você pague a conta. Cada um paga o seu, mas no sexo não tem matemática. Vale tudo! Com camisinha, sem camisinha […]. Valia puxar cabelo, e tapa de amor não dói”, versa outro trecho da publicação do delegado.

Assunto na CMJP

Na Câmara de João Pessoa, os vereadores Marcos Henriques (PT), líder da oposição, e Sandra Marrocos (PSB) pediram a exoneração do delegado Francisco Azevedo, que é servidor público. “Ele usou as redes sociais para desqualificar a militância com palavras absurdas. Já nos posicionamos na Casa e vamos tomar atitudes conjuntas. Esse delegado receberá um voto de repúdio e vamos dar entrada em uma representação contra ele junto à Secretaria de Segurança e Defesa Social e também ao governador João Azevedo”, disse Sandra.

Já Marcos Henriques, que é do PT, declarou que um servidor público não deve disseminar misoginia. “É preciso que seja tomada alguma providência porque um gestor que tome uma atitude como essa não merece estar em cargo algum”, comentou o vereador.

Reação do PT

Na tarde desta quarta, o PT, por meio de sua Secretaria de Mulheres, divulgou uma nota de repúdio contra o delegado, onde informou que irá entrar com uma denuncia coletiva junto ao Ministério Público, à Corregedoria da Polícia Civil e também com uma Ação Judicial para as medidas cabíveis.

A secretaria estadual de mulheres do PT, Zezé Bechade se mostrou completamente indignada com a atitude do delegado. “Uma pessoa que ocupa a função que ele ocupa, não pode estar postando [esse tipo de coisa], ninguém tem o direito de postar o que ele postou. Completamente desrespeitosa a postura dele em relação as mulheres, as mulheres do PT, que são mulheres que lutam no dia a dia por uma sociedade melhor, pelo respeito as mulheres, pelo respeito as pessoas”, afirmou à reportagem do Paraíba Já.

Para ela, ele atacou não só as petista, mas a honra e a moral de todas as mulheres. “As mulheres do PT, assim como todas as mulheres, merecem respeito e dignidade. São mulheres que vivem na luta contra o ódio, contra o preconceito, contra a misoginia, contra todas as formas de destrato”, ressaltou.

Confira nota do PT na íntegra:

Nós Mulheres e Homens Petistas da PB, indignadas/os pela forma como fomos atacadas/os em nossa dignidade e moral, repudiamos as postagens realizadas no Facebook e a conduta do delegado de Polícia Civil, Francisco Azevedo, que de forma grosseira tenta desqualificar, desvalorizar e humilhar as Mulheres Petistas com palavras de baixo calão, assim como acusando homens e mulheres petistas com o intuito de atacar a honra e a moral.

São posturas como essas que naturalizam o ataque gratuito, o desrespeito e o ódio contra seres humanos, contra quem pensa contraditoriamente a outra pessoa. Essas são atitudes que jamais deveríamos assistir, seja em redes sociais, seja no dia-a-dia de um advogado e, principalmente, de um servidor público, um Delegado de Polícia.

Repudiamos e pedimos ao Governo do Estado total apuração e providências para o afastamento imediato de suas funções, por falta de ética e decoro.

Desta forma, a Direção Estadual do PT, assim como a Secretaria Estadual de Mulheres do PT entrará com uma denuncia coletiva junto ao Ministério Público, à Corregedoria da Polícia Civil e também uma Ação Judicial para as medidas cabíveis.

João Pessoa, 3 de abril de 2019

Zezé Béchade
Secretária Estadual de Mulheres do PT/PB

Jackson Macedo
Presidente Estadual do PT/PB