Notícias

Crise de convivência com RC poderá afastar secretários titular e adjunto da Segurança

Após dois secretários terem “adoecido”, dois terem protagonizado um duelo sem desfecho com arma em punho após denúncias de fraude em licitação para compra de alimentos para os presídios e pratica de nepotismo, agora a crise chegou ao setor de Segurança Pública.

É iminente a saída do titular e do adjunto da secretaria de Segurança, respectivamente Cláudio Lima e José Silvany.

Motivo: incompatibilidade de gênios. O mesmo motivo que gera milhares de divórcios no Brasil e no mundo é o que provocará mais um abalo na gestão do governador Ricardo Coutinho.

Cláudio e Silvany são delegados federais do maior gabarito, homens experientes e sérios.

A crise na Segurança Pública tem se agravado com a explosão quase que diária de caixas eletrônicos, o número de pequenos delitos aumentou, como também o número de homicídios.

No entanto, não se pode culpar os responsáveis pela investigação e repressão sem antes fazer uma análise se o governador está oferecendo as condições adequadas para que o crime seja combatido.

E sabemos que Ricardo cortou pela metade as ordens de combustíveis para viaturas, tratou a Polícia como quem trata um cachorro e, o que é pior, não tem trato nas relações com os auxiliares.

Uma coisa é Ricardo gritar Urquiza, humilhar Gilberto Carneiro ou botar o dedo na cara de Coriolano, que são dependentes em tudo dele, são seguidores fanáticos e irmão de um Coletivo fundado por ele e, por falta de opção, agüentam tudo calados.

Outra é o governador ser desrespeitoso com auxiliares que estão ali em uma missão técnica e não para se sujeitarem aos arroubos de um político bipolar.

Na última reunião da equipe de governo lá na Cinep uma fonte me garantiu que o governador passou da conta e foi descortês com a equipe da segurança e o adjunto chegou a se levantar e ir embora.

A pesar de a liberação de Cláudio Lima na Polícia Federal ter demorado quase 100 dias para ser publicada, não descartem a saída dele e de seu adjunto nas próximas semanas.