Fale Conosco

O que eu e Janildo Silva vimos e ouvimos ontem na sede da OAB durante a reunião do Pleno da Ordem foi uma disposição dos conselheiros de aprofundar a participação desta seccional no dia a dia do estado, tanto na vigília dos direitos constitucionais já assegurados em Constituição, como é o caso da liberdade de imprensa, como no combate a corrupção.

Apesar de a nota de solidariedade aos jornalistas que entregaram a carta denúncia ser lacônica na defesa dos reclamantes, foi um avanço a OAB se posicionar e entrar no ringue.

Em certo momento o conselheiro Claudecy Tavares sugeriu que a OAB paraibana se engaje de imediato em nossa luta contra os desmandos e  citou o Escândalo do Feijão com exemplo de descalabro.

A nota em si apesar de não tocar no nome de quem ta perseguindo, no caso Ricardo Coutinho e Nonato Bandeira, foi emitida a partir da provocação de um documento assinado por 48 jornalistas e respaldada em uma nota de solidariedade da Associação Paraibana de Imprensa e, obviamente repudiou a perseguição que denunciamos.

Odon Bezerra chegou a dizer que a OAB Paraíba vai seguir o que a OAB nacional sugeriu e criará em seu site uma página com o Observatório da Corrupção.

“Para que escolas não fechem, para que não fraudem licitações da merenda, estaremos atentos e combateremos a corrupção”, disse o presidente da OAB/PB, que pisando em ovos assistiu presidiu com visível constrangimento a sessão do pleno da OAB.

Odon é irmão do líder do governo Hervázio Bezerra e por mais que disfarce não consegue dissociar as coisas.

Coordenador da campanha do irmão, Odon fica entre a cruz e a espada e recebeu até elogios do denunciado ontem e, segundo um blog governista, cheio de perna se justificou e procurou minimizar a nota dizendo que na era contra ninguém e, pasmem, nem a favor de ninguém, apenas em defesa do que gente que não tinha medo como elçe tem, lutou para garantir na Constituição.

Mesmo assim, agradecemos a OAB, a comissão que acompanhou o caso e aos corajosos membros do Pleno da Ordem.

Aprofundem o debate interno e não deixem a OAB muda e surda.

Em tempo: para quem tem uma cara em off e outra em on só memo um rec para perpetuar o que Nonmto não gostaria de saber que foi dito sobre sua pessoa.