Fale Conosco

O Capitólio dos Estados Unidos foi invadido por apoiadores de Donald Trump durante a sessão que certificaria Joe Biden como presidente. As portas do Capitólio, como é conhecido o prédio do Congresso americano, chegaram a ser trancadas e um alerta de emergência acionado.

A polícia chegou a usar armas, bombas de gás e spray de pimenta para conter os manifestantes que invadiram o local. A emissora CNN informou que pessoas ficaram feridas durante a confusão. Foram registrados confrontos fora do prédio.

Na sala de imprensa do Senado, um alerta dizia: “Tranque todas as portas, se possível. Se não, procure abrigo ou camuflagem. Fique calmo e aguarde mais instruções. Repito: ameaças à segurança dentro do Capitólio dos Estados Unidos”, noticiou a Fox News.

O vice-presidente Mike Pence, que participava da sessão para certificar Joe Biden, foi evacuado do prédio e a votação precisou ser interrompida.

Nas redes sociais, Pence declarou que a violência e a destruição ao Capitólio “devem parar agora”. “O ataque ao nosso Capitólio não será tolerado e os envolvidos serão processados em toda a extensão da lei”.

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, decretou toque de recolher a partir das 18h (hora local, 20h em Brasília) na cidade, válido até as 18h de amanhã.

Tiroteio e ameaças de bomba

Com a invasão de manifestantes pró-Trump, uma mulher foi baleada no peito dentro do Capitólio e está em estado crítico, segundo informações da CNN. As circunstâncias do acidente ainda não foram esclarecidas.

Minutos antes da invasão, dois prédios do Capitólio foram evacuados por uma suposta ameaça de bomba. Informações da Fox News indicam que a polícia encontrou vários pacotes suspeitos em volta do Cannon House Office e da Madison Library of Congress Building, e agiu para esvaziar os prédios e escritórios vizinhos.

UOL