Fale Conosco

Quando um barco começa a minar água, cada um que arranje um motivo para pegar seu salva vidas e pular primeiro. É o que está acontecendo em Campina neste momento na gestão Romero Rodrigues. Os vereadores começaram questionando a vice, rifaram Ronaldinho, e vão acabar rifando a cabeça da chapa.

A verdade é que ninguém é obrigado a remar contra a maré e, com instinto de sobrevivência aguçado, a maioria da bancada governista já flerta com quem neste momento desponta como a perspectiva de poder. E este atende pelo nome de Veneziano.

Igual a orelha de freira, o êxodo existe, mas ninguém ver. É que os vereadores não são tolos de pular do barco agora, pois perderiam a vantagens que cada um usufrui na máquina municipal.

Com uma gestão problemática em vários setores, apática, anêmica e acéfala, uma chapa fechada que não permite margem de negociação com nenhum partido, e a impopularidade galopante, quem com juízo perfeito vai apostar as fichas na reeleição de Romero?

Veneziano é uma sombra que incomoda e quando mais batem nele mais ele cresce e se credencia como candidato difícil de se bater em 2016.