Fale Conosco

Lá no brejo todo mundo sabe que Célio Alves é sinônimo de trairagem, virada de casaca ou coisa tipo cama de gato. O cara é tão associado a traição que na Semana Santa em Guarabira a meninada diz “vamos malhar Célio Alves”, ao invés de vamos malhar o Judas.

Só que, como todo camaleão, ele troca a pele, muda de cor, faz qualquer coisa, para sobreviver no governo João, mesmo sendo um ricardista inveterado.

Célio vai viver de que, se tudo que sabe fazer na vida é amealhar contra-cheques em cargos públicos? E olha que Célio controla mais de 400 empregos em Guarabira e região.

Já foi dito a João que a presença de Célio afasta o grupo Paulino e irrita aliados, e que a exoneração dele e de sua corruptela criaria um ambiente mais arejado e sem insalubridades.

Resta saber se João Azevedo vai ouvir as vozes plurais ou ficar com a bajulação singular.

O prato da moda lá em Guarabira agora é traíra no côco e o Sampa vai ter que incluir no cardápio.

Dércio Alcântara