Paraíba

Câmara de JP discute regulamentação e valorização dos profissionais tecnólogos

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou, na tarde desta quarta-feira (8), uma sessão especial em “alusão ao primeiro encontro dos tecnólogos do estado da Paraíba”. Na ocasião, foram discutidas as dificuldades de inserção no mercado de trabalho dos tecnólogos, assim como a valorização e a regulamentação da profissão. A discussão foi prestigiada pelos vereadores Marcos Henriques (PT), que secretariou os trabalhos, e Leo Bezerra (PSB).

A mesa de trabalho foi composta pelos vereadores e pelo presidente da Federação Nacional dos Tecnólogos e do Sindicato dos Tecnólogos do Distrito Federal, Efraim Geraldo Leite; presidente do Sindicato dos Tecnólogos de Sergipe, José Gomes de Andrade Filho; presidente da Comissão Provisória do Sindicato dos Tecnólogos em Segurança do Trabalho no Estado da Paraíba, Kátia de Luna Freire; presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Paraíba (Crea-PB), Giucélia Figueiredo; o presidente do Conselho Regional de Administração da Paraíba (CRA-PB), Geraldo Rosa; e o representante do Conselho Regional de Química da Paraíba (CRQ-PB), Severino Oliveira.

De acordo com o propositor da sessão, vereador Humberto Pontes (Avante), os cursos superiores para tecnólogos são um avanço para o desenvolvimento do Brasil, no entanto esses cursos estão correndo risco de sofrerem evasões devido à dificuldade de inserção no mercado de trabalho. “É preciso agregar, motivar e mobilizar os tecnólogos e acadêmicos do nosso estado para debatermos e delinearmos estratégias e ações visando superar estes e outros empecilhos que dificultam a inserção destes profissionais no mercado de trabalho”, defendeu o parlamentar.

O presidente da Federação, Efraim Geraldo Leite, explanou sobre a luta para a regulamentação da profissão e destacou que existem cinco sindicatos instituídos. “Somos uma profissão dinâmica, aperfeiçoada. Não queremos tomar espaço de ninguém. Somos profissionais especializados e agora precisamos de regulamentação para o exercício da profissão. Sempre com respeito a cada formação”, asseverou.

Giucélia Figueiredo falou que o Crea-PB está pronto para firmar acordos na luta pela organização dos tecnólogos com a valorização da profissão. “Construímos história com atitudes e iniciativas. Somos parceiros e firmamos um pacto para criação do sindicato dos tecnólogos da Paraíba”, afirmou.

Geraldo Rosa disse que o Conselho de Administração também é parceiro na luta pela valorização e regulamentação dos tecnólogos. “Construímos um país, não só com doutores, mas com uma gama de profissionais dos mais diversos ramos”.

Kátia Figueiredo falou que o tecnólogo em Segurança do Trabalho tem papel crucial para o futuro, sendo poderoso agente de mudança, capaz de influenciar nas transformações que levarão a qualidade de vida dos trabalhadores no complexo mundo do trabalho.

“Contamos com o apoio nesta luta para criação do Sindicato dos Tecnólogos em Segurança do Trabalho no Estado da Paraíba. Nosso objetivo é valorizar, sensibilizar, mobilizar, fortalecer e apoiar nossos profissionais e estudantes, de maneira a termos um Sindicato que possa representar a todos trazendo o respeito merecido da sociedade, do mercado e do governo, colaborando para a solidificação – desde a formação – de uma categoria forte e digna, soberana e justa”, declarou Kátia Figueiredo.

O tecnólogo

No Brasil, o tecnólogo é o profissional de nível superior formado em um curso superior de tecnologia. Essa modalidade de graduação visa formar especialistas para atender campos específicos do mercado de trabalho. O curso superior de tecnologia é de foco acadêmico específico. Por essa razão, o campo de atuação do tecnólogo limita-se a especificidade de sua formação. Dentro de sua especialidade, porém, o tecnólogo é pleno.

O Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia do Ministério da Educação disciplina a oferta desses cursos. A terceira edição do Catálogo, de 2016, traz 134 denominações de Cursos Superiores de Tecnologia em treze eixos tecnológicos: Ambiente e Saúde; Controle e Processos Industriais; Desenvolvimento Educacional e Social; Gestão e Negócios; Informação e Comunicação; Infraestrutura; Militar; Produção Alimentícia; Produção Cultural e Design; Produção Industrial; Recursos Naturais; Segurança; Turismo, Hospitalidade e Lazer.

 

Tags: Tags: