Fale Conosco

Uma decisão do presidente Michel Temer que permite a exploração da Amazônia na área que fica entre Amapá e o Pará por mineradoras privadas vem gerando grande polêmica e protestos nas redes sociais. Artistas de todos os ritmos, estilos e matizes têm se revezados em seus perfis nas redes sociais protestando contra a decisão do governo e repetindo o bordão “Fora Temer!”. O cantor e compositor Caetano Veloso é um desses artistas. Ele, que está iniciando turnê de show com os filhos, tem repetido em seu perfil no Instagram mensagens como “Fora Temer, Amazônia Fica!”, acompanhadas das hastags “#SOSAmazonia” e “#Todos pela Amazonia”.

Ontem, o governo brasileiro revogou o decreto que extinguiu uma reserva nacional da Amazônia e publicou um novo texto em que detalha as condições para exploração mineral da área da Renca (Reserva de Cobre e Associadas). Também ontem, Caetano Veloso exibiu em seu perfil vídeo com o senador Randolfe Rodrigues dizendo que o novo decreto anunciado pelo presidente Temer sobre o assunto não mudou nada na prática. Caetano também exibiu vídeo com a cantora Anitta fazendo apelo para que a população se engaje na hastag “#tudo pela amazonia”.

O engajamento de Caetano Veloso tem tido adesões dos mais diversos artistas. Não só de Anitta. A atriz Dira Paes exibiu em seu perfil vídeo do músico baiano cantando “Um índio” em homenagem a Amazônia e com os gritos de “Fora Temer” ao final da canção. Artistas como Nando Reis, Marília Gabriela, entre outros, vêm postando mensagens nas redes sociais em defesa da preservação da Amazônia. Na Paraíba, a campanha tem apoio de nomes como Buda Lira, Bertrand Lira, Thamara Duarte e outros.

Também está circulando campanha para assinar petição impedindo que destruam a Amazônia. A campanha, via e-mail, conclama: “A conta chegou e Temer está pagando os votos que comprou da bancada ruralista. O Congresso quer aprovar uma lei que vai abrir um buraco do tamanho de 433 campos de futebol no coração da Amazônia para mineração, madeireiras e pecuária. Mas podemos frear esse absurdo! Semana passada, aprovaram na surdina o desmate de uma área equivalente ao tamanho da Dinamarca: não podemos deixar passar mais uma. O projeto será analisado por uma comissão especial a qualquer momento, precisamos pressioná-los a abandonar de vez essa lei. Assine agora e compartilhe com todos”.

A área de quase 4 milhões de hectares equivale ao tamanho do Espírito Santo ou da Dinamarca e tem grandes reservas naturais e terras indígenas. A reserva foi criada em 1984, ainda durante o regime militar, e mantinha área de alto potencial para exploração de ouro e outros minérios (como ferro, manganês e tântalo) em posse da União.