Fale Conosco

Sikêra Jr. teria sido gratificado pelo governo federal para defender medicamentos ineficazes contra a Covid-19. Segundo veiculado pela Folha de São Paulo, o valor de R$ 120 mil em verbas públicas foi pago ao apresentador para que ele saísse em defesa do tratamento precoce contra o coronavírus.

Em documento entregue à CPI da Pandemia pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), sete repasses para a empresa do apresentador, a José Siqueira Barros Junior Produções, foram encontrados. As transferências foram feitas entre os meses de dezembro do ano passado até abril deste ano, sob a justificativa da participação de Sikêra em sete campanhas publicitárias do governo.

Os pagamentos foram feitos pela Secom através da subcontratação das empresas PPR profissionais de publicidade reunidos e Calia/Y2 Propaganda e Marketing, que têm contratos com o Executivo.

Uma das peças publicitárias com a participação de Sikêra aborda o Cuidado Precoce para a Covid-19, onde foi orientado às pessoas com suspeita da doença que procurassem atendimento nos primeiros sintomas. Por essa campanha o apresentador recebeu R$ 24 mil.

Já para participar da campanha Semana Brasil 2020, realizada em setembro do ano passado “para celebrar a retomada, com segurança, da economia e dos empregos” ele recebeu R$ 16 mil.

O pagamento de R$ 24 mil foi fruto da campanha de “Lançamento cédula de R$ 200”; R$ 8.000 pela campanha de “Combate ao mosquito Aedes”; R$ 20 mil para a campanha de “Conscientização das famílias sobre os riscos de exposição de crianças na internet”; mais R$ 20 mil para a “Semana Nacional do Trânsito”; e por fim R$ 8.000 para a de “Uso Consciente de Energia e Água”.

Ainda consta na reportagem da Folha que Sikêra Jr. apareceu em publicação na conta da Secom no Twitter, a “SecomVc”, na campanha “Juntos Somos mais Fortes”, que tratava a respeito dos cuidados contra o coronavírus. Na referida campanha, a Secom alegou que Sikêra e outros profissionais teriam participado voluntariamente da ação, não tendo custos para a União.

O apresentador foi procurado pela Folha por email nessa quarta-feira (16), mas não respondeu. Entretanto, em seu programa, confirmou que recebeu os pagamentos e, depois, publicou em seu perfil do Instagram a resposta. Na justificativa, ele disse que recebeu dinheiro do Ministério da Saúde pois “não trabalha de graça” e que vive de propaganda.

A Rede TV!, emissora na qual Sikêra tem um programa diário, respondeu em nota que “o apresentador Sikêra Jr. possui uma empresa própria”. “Pedimos, por gentileza, que entre em contato diretamente com a mesma.”

 

Com informações da Folha de S. Paulo