Fale Conosco

O dia do trabalhador, nesta quarta-feira (1º de maio), contará com um ato político-cultural em João Pessoa, reunindo trabalhadores do Estado. A concentração começará a partir das 14h em frente ao Centro de Zoonoses. De lá, em protesto contra a Reforma da Previdência, os participantes do ato caminharão com cartazes e faixas até o Mercado Público de Mangabeira, onde seis atrações culturais subirão ao palco, acompanhadas de lideranças sociais, para lembrar a retirada de direitos que vem acontecendo com os trabalhadores.

As atividades estão sendo promovidas pelas centrais sindicais como CUT-PB, CTB-PB, NCST, assim como pela Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo. Entre as atrações confirmadas no ato político-cultural estão: Banda Pau de Dar em Doido, Menestréis MCs, João Neto e Forró Ripa na Xulipa, assim como o Grupo de Teatro MilkShakespeare, o Grupo de Capoeira Brasil.

Para o presidente da CUT-PB, Paulo Marcelo, nos últimos dois anos foram responsáveis pela perda e/ou precarização de muitos direitos dos trabalhadores, através de projetos como o da terceirização e da Reforma Trabalhista. “E para coroar esse processo de destruição dos direitos e da massa trabalhadora, vem aí a reforma da previdência que já passou pela CCJ. A classe trabalhadora, a sociedade inteira, principalmente os pobres correm um grande risco de virarem indigentes nas ruas desse país e aumentar a fome, a pobreza e o desemprego”, criticou.

Paulo Marcelo acrescentou ainda que as políticas públicas vêm sendo sistematicamente desmontadas pelo Governo. “Acabou o Mais Médicos, o investimento na educação, na agricultura familiar, o Minha Casa Minha Vida e o desemprego está crescente. Se fala que o desemprego é de 13 milhões de brasileiros, mas sabemos que é muito mais do que isso, porque há uma grande leva de trabalhadores e trabalhadoras vivendo de bicos e de subempregos, vendendo laranja e água nos semáforos do país inteiro. E com certeza a Reforma da Previdência será um motivo de empobrecimento, uma vez que muitas famílias dependem da seguridade social para sobreviver e não tiveram e não terão oportunidade em um país que não investe em educação e emprego. Por isso chamamos todos que são contrários a esse tipo de ação a participar do nosso 1º de maio!”, concluiu.

Campina Grande – Um conjunto de sindicatos e movimentos sociais rurais e urbanos de Campina Grande e região realizará, a partir das 9h, na Praça da Bandeira, em Campina Grande, uma mobilização unificada.

A manifestação se une ao Dia Nacional de Luta contra a retirada de direitos e contra a Proposta de Emenda a Constituição – PEC nº 006/2019 da Reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional. Na Paraíba, ocorrerão atos semelhantes em diversas cidades.

Na Praça da Bandeira a manifestação contará com carro de som, ato público e manifestações culturais. Segundo os organizadores, a intenção é chamar a atenção dos parlamentares paraibanos sobre a ameaça que essa proposta de reforma representa aos direitos dos trabalhadores rurais e urbanos a uma previdência pública.

Em Campina Grande, a expectativa da organização é de reunir cerca de mil pessoas, com caravanas vindas de cidades da região. Organizam a manifestação em Campina Grande: Força Sindical, Polo da Borborema, Nova Central, Central Única dos Trabalhadores – CUT, Central Sindical e Popular Conlutas, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra da Paraíba – MST-PB.