Fale Conosco

O governo continua fingindo que não é com ele. Numa semana que aconteceu de tudo, desde imagens impactantes do Hospital de Trauma relegado ao caos, até o flagrante da entrega de leite com logomarca do Governo de Pernambuco aos carentes em Itapororoca, é no mínimo cara de pau de Vossa Excelência.

Mas, nada é tão letal quanto aquele “processo perdido” na secretaria de Saúde, onde o desembargador Joás de Brito Filho e o conselheiro do TCE Nominando Diniz foram pegos de calças curtas na prevaricação.

Como as parte envolvidas não se pronunciam, apesar de termos disponibilizado a oportunidade de defesa prévia através de email desde a última sexta, resolvi então interpelar – na condição de repórter e cidadão – o próprio governador Ricardo Coutinho e escolhi o Twitter para interagir, um canal que ele conhece bem, pois anunciou seus secretários através desta rede social.

      Dercio Alcantaradercioalcantara Dercio Alcantara @realrcoutinho Gostaria que Vossa Excelência se pronunciasse acerca das denúncias de tráfico de influência publicadas em nosso blog.23 hours ago 

Dercio Alcantaradercioalcantara Dercio Alcantara @realrcoutinho Gostaria que Vossa Excelência respondesse as perguntas feitas por Rubens Nóbrega na última sexta sobre o assunto.23 hours ago 

Dercio Alcantaradercioalcantara Dercio Alcantara @realrcoutinho Só para relembrar: Vossa Excelência recebeu um email do desembargador Jóas de Brito pendido emprego pra família?23 hours ago  Favorite  Reply  Delete

 Dercio Alcantaradercioalcantara Dercio Alcantara @realrcoutinho Finalmente, Excelência, apelo para que ofereça transparência em seu governo.23 hours ago

Já se passaram mais de 24 horas e nada de reposta. O pior é que o ditado diz que quem cala consente. Que tal o porta voz, que adora os holofotes da mídia, se prununciar? Serve.

Fala Nonato! A caligrafia no contracheque do filho da secretária de Nominando Diniz é ou não é do governador?

Ricardo recebeu e imprimiu o email do desembargador Joás de Brito?

O povo e a imprensa, mesmo fingindo que não sabe de nada do que está se passando, querem saber.

Em tempo: talvez as partes usem um campo que lhe é mais favorável e escolham a via judiciária para me amedrontar, mas lá terão que responder as perguntas aqui feitas e que merecem esclarecimentos em quamquer instância.

Medo, não tenho.