Fale Conosco

De acordo com o secretário da Administração Penitenciária da Paraíba, Coronel Sérgio Fonseca, o agente que estava na custódia do detento Eduardo dos Santos Pereira, condenado a 108 anos de prisão que fugiu na noite de terça-feira (17), foi indiciado por facilitação culposa. As investigações para descobrir como aconteceu a fuga continuam tanto por parte da Polícia Civil, quanto por meio de procedimento administrativo.

Eduardo, conhecido por ser o mentor do crime que ficou conhecido como Barbárie de Queimadas, trabalhava há mais de um ano no almoxarifado, como forma de reduzir a pena, e era visto como um apenado com bom comportamento. Ele foi acompanhado por um agente até o local e fugiu pela porta lateral que dá acesso ao almoxarifado entre 19h e 20h, da terça-feira (17).

“Todos os policiais e agentes de plantão foram encaminhados para a delegacia e ouvidos. Apenas um agente, que estava na custódia do preso, foi indiciado por facilitação culposa. Ele também vai responder por procedimento administrativo na SEAP”, disse.

O secretário afirmou que o procedimento administrativo e o inquérito policial vão apurar essa facilitação da fuga e os policiais investigados terão direito a defesa e contraditório. As imagens das câmeras de segurança também serão direcionadas à Polícia Civil e à equipe encarregada do procedimento administrativo.