Fale Conosco

Um dos acusados de assassinar o ex-prefeito Expedito Pereira perdeu o advogado de defesa após aceitar colaborar com o Ministério Público e fazer delação premiada. O advogado Aécio Farias Filho entregou o caso logo em seguida ao saber que Leon Nascimento estava revelando mais detalhes do crime, como, por exemplo, que o sobrinho da vítima foi o mandante do assassinato e que pagou R$ 3 mil para tirarem a vida do tio. “Não defendo delator”, disse o jurista ao avisar que estava deixando a defesa.

Nesta quarta-feira (16), o juiz Marcos William decretou a prisão temporária do sobrinho do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, que foi assassinado a tiros no meio da rua na semana passada, no bairro de Manaíra, em João Pessoa.

Além de José Ricardo, mandados de prisão também foram emitidos para Gean Carlos, que trabalhou na campanha de Ricardo a vereador de Bayeux, e também Leon, que foi preso na noite do sábado (12), pelo crime de estelionato e já tinha mandado em aberto desde 2016.