Fale Conosco

No auge da carreira, o cantor Wesley Safadão é um fenômeno do chamado “forró estilizado” e hoje se transformou em um dos artistas mais carismáticos e populares do Brasil. Safadão tem atraídos públicos grandiosos para os seus shows.

O artista que no último domingo levou mais de 50 mil pessoas ao Parque do Povo, dentro da programação do Maior São João do Mundo, também demostrou que tem talento para se sobressair em determinadas polêmicas. Antes de subir ao palco, ele foi indagado sobre a “briga” que surgiu envolvendo os sertanejos e os forrozeiros, particularmente, envolvendo a cantora paraibana Elba Ramalho, o cearense Alcymar Monteiro e a cantora Marília Mendonça. Com a mesma performance com que se apresenta em seus shows, Safadão não defendeu nem atacou os artistas, disse que nas grandes festas existem espaços para todos, mas o tradicional não pode ser esquecido.

Com nítido cuidado para não ser mal interpretado, Wesley Safadão disse que Alcymar Monteiro “perdeu um pouco o respeito” no áudio em que critica Marília Mendonça. Sobre a polêmica dos shows de artistas do ritmo sertanejo no São João de Campina Grande, defendeu uma mesclagem de ritmos, mas acima de tudo, deve existir, o respeito.

“Quando rolam algumas polêmicas eu procuro não participar. Eu cheguei a escutar por cima o áudio do Alcymar Monteiro, acho que perdeu um pouco o respeito. Eu prezo muito por isso”, disse. Safadão ainda falou que há espaço para todos os artistas durante as festas do São João. “Não tem isso de a Paraíba é do fulano ou do sicrano, todo mundo está buscando seu espaço. E se está bem, o povo quer ver e tem que trazer, mas também não pode perder o que é de essência e tradição”, continuou o cantor.

Ao comentar discretamente a polêmica envolvendo Elba Ramalho, Safadão elogiou a cantora paraibana,e declarou que sempre admirou a paraibana de Conceição;mas também defendeu Marília Mendonça.

” A Elba é uma pessoa que eu, particularmente, admiro demais. Ela não perdeu a majestade. Ela tem o carinho de todos que fazem parte do segmento. Eu não sei se foi dessa forma que ela falou, mas na minha opinião, Campina Grande tem que ter, sim, Elba Ramalho, Alcymar Monteiro, mas tem que fazer uma mesclagem e não pode só trazer os novos e não trazer os antigos, os que têm uma bagagem” declarou.

Para ‘Safadão’, é preciso ficar atento à vontade do público. “Não tem isso de a Paraíba é do fulano ou do sicrano, todo mundo está buscando seu espaço. E se está bem, o povo quer ver e tem que trazer, mas também não pode perder o que é de essência e tradição”., explicou o cantor.

 

Fonte: PBAgora