Fale Conosco

Os comerciantes que trabalham na edição 2018 d’O Maior São João do Mundo cumpriram ontem (15), a promessa de paralisar as atividades em protesto aos acordos não cumpridos pela empresa organizadora do evento. Eles tinham se reunido na frente da Catedral, no Parque do Povo, na última quarta-feira (13), para discutir ações sobre o evento.

De acordo com o presidente da Associação dos Comerciantes do Maior São João do Mundo, Lucinei Cavalcante, a reunião foi pacífica, mas diminuiu a capacidade produtiva dos comerciantes. “A gente vai fazer uma ação de protesto contra os desmandos da empresa Aliança e será uma reunião pacífica. Todos os comerciantes estarão presentes e vamos discutir ações para que a gente não deixe acontecer o que tá acontecendo no São João desse ano”, disse.

A principal reivindicação esplanada pelos comerciantes, de acordo com Lucinei, é a diminuição nos preços dos produtos comercializados pelo depósito fornecedor. “Se não baixar, abrir os portões para que a gente possa comprar aonde quiser e oferecer preço justo ao cliente. Outra reivindicação é pedir que a empresa abra os portões do Parque do Povo nas manhãs e tardes dos jogos da Copa do Mundo e nos finais de semana”, acrescenta o presidente da Associação.

Ainda de acordo com Lucinei, como as reivindicações não foram atendidas, os comerciantes voltaram a se reunir nesta sexta-feira para paralisar as atividades. Vejam os vídeos dos protestos ontem no Parque do Povo, onde comerciantes pedem a saída da empresa Aliança da organização do evento e culpam o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) por ter vendido o São João a uma empresa privada.

Vídeo 1:

Vídeo 2:


Redação