Fale Conosco

O ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo afirmou nesta segunda-feira (14), em entrevista concedida em João Pessoa, que o repasse do ICMS ocorrido no início do ano e a primeira parcela do Fundo de participação dos Municípios – FPM transferida para a conta da Prefeitura de Campina Grande no último dia 10 de janeiro, ambos referentes ao arrecadado no mês de dezembro, são suficientes para pagar o décimo terceiro e o mês de dezembro de alguns servidores que ficaram sem receber.

Segundo Veneziano, estes dois repasses somam aproximadamente R$ 5 milhões e podem ser utilizados para pagamento de pessoal. “O repasse de R$ 2,4 milhões do ICMS e o primeiro repasse e R$ 2,4 milhões do FPM são referentes ao nosso período administrativo. Tanto que entram na comprovação dos balancetes contábeis de dezembro”, disse o ex-prefeito.

Veneziano afirmou que o repasse do ICMS referente a dezembro, depositado na conta da PMCG no início do ano, foi superior a R$ 2,4 milhões. Já o repasse do FPM foi de, exatos, R$ 2.437.660,20.

“O Prefeito Romero foi à imprensa dizer que só havia recebido um milhão e meio do primeiro repasse do FPM, o que não bate com os números divulgados pela Confederação Nacional dos Municípios, de, exatos, R$ 2.437.660,20. É melhor jogar aberto com os servidores. Se não quer pagar, não paga, mas não fica dando desculpas esfarrapadas. Há dinheiro para pagar, sim”.

Veneziano lamentou que o prefeito Romero tenha declarado que vai pagar o mês de janeiro, mas não quitará os salários de alguns servidores remanescentes de seu período administrativo. “Ele diz que vai pagar janeiro, mas que vai deixar o que ficou em aberto de dezembro sem pagar, mesmo recebendo verbas referentes ao nosso período administrativo. É isso o que eu não entendo”, disse.