Fale Conosco

Em assembleia virtual realizada na noite da última segunda-feira (01) pelo Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e Borborema (Sintab), os trabalhadores da educação de Campina Grande decidiram, por unanimidade, declarar greve geral. O presidente do Sintab, Giovanni Freire, disse que a categoria é contrária a volta às aulas mesmo que de forma híbrida.

Para ele, não iniciar o ano letivo, mesmo de forma remota, é uma decisão justificada pela falta de propostas da gestão municipal para que estas aulas não aconteçam de forma deficitária, como ocorreu em 2020.

“A forma remota que foi realizada já não teve nenhuma estrutura por parte da gestão. O remoto não funcionou e a híbrida será pior ainda. Estão brincando com a educação. Não deram nenhuma estrutura para os estudantes e professores, ainda querem retomar as aulas na promessa de um modelo híbrido quando na verdade nenhuma adaptação foi feita nas escolas. É uma nova estrutura e precisa ser priorizada. Também defendemos que só após a vacinação dos trabalhadores e dos estudantes seja efetivado o retorno.  A categoria só retorna se houver uma proposta apresentada pela prefeitura”, disse o representante do setor.

Mais de 4 mil trabalhadores da educação paralisarão suas atividades com o intuito de protestar contra o não pagamento do 14º salário da educação; não cumprimento das progressões; atrasos na recarga do cartão de passagem e a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);  gratificação do pessoal de apoio; risco de vida dos vigias; retroativo dos aposentados que não é pago desde de 2016. 

O presidente do Sindicato, ainda reforçou que a declaração de greve também tem motivação pelo atual cenário da pandemia. “Não é o momento para o retorno das aulas presenciais, ainda que de forma híbrida, já que a volta às atividades nas unidades educacionais neste momento, pode resultar em ainda mais mortes de profissionais da educação vítimas do novo coronavírus, como aconteceu com a professora Christianne Fátima, gestora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Manoel Francisco da Motta, que veio a óbito precocemente neste domingo, 31”, destacou Giovanni Freire.