Fale Conosco

A médica Tatiana Medeiros, ex-secretária de Saúde na gestão Veneziano, denunciou na tarde desta sexta-feira (22) que a Prefeitura de Campina Grande, na atual gestão, contratou 80 pessoas para atuar como agentes de vigilância ambiental sem a realização de concurso público. A denúncia foi feita durante entrevista em João Pessoa.

 “São oitenta agentes de vigilância ambiental, contratados sem concurso público, sem edital, sem critério algum. Isso tem que ser fiscalizado pelo ministério Público”, afirmou Tatiana.

De acordo com Tatiana, a denúncia deve ser apurada pelo Ministério Público porque, segundo ela, a Presidente do Conselho Municipal de Saúde, órgão fiscalizador das ações da Secretaria de Saúde, Rossandra Oliveira, foi nomeada por Romero no cargo de Gerente de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde.

Da mesma forma, lembrou Tatiana, Rossana é presidente do Sindicato dos Agentes de Vigilância Ambiental, entidade que também deveria fiscalizar o serviço. “Assim Romero cala os órgãos de controle e fiscalização. Por isso peço ao Ministério Público que faça uma investigação sobre essa contratação irregular de oitenta pessoas”, disse.

Tatiana também lembrou que a fiscalização não pdoerá ser feito pelo Sintab, o Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema. “Napoleão Maracajá, presidente do Sintab, eleito vereador, é da base governista e não saiu do sindicato. Portanto, como poderá investigar esse procedimento?”, questionou.

Tatiana foi ao programa para denunciar a prática de nepotismo na Prefeitura de Campina Grande. Ela levou uma lista com pessoas da família do prefeito que foram nomeadas para cargos de primeiros escalões e citou, um a um, as funções ocupadas por cada pessoa.

“O nepotismo, que é a contratação de parentes no serviço público em lugar de pessoas qualificadas e preparadas para a ocupação dos cargos, é uma das práticas mais condenáveis da administração pública e, infelizmente, isto está ocorrendo em Campina”, disse Tatiana.