Fale Conosco

Sumido do noticiário desde que renuciou ao mandato de senador para ser ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rego reapareceu ontem quando o Plenário daquela corte de contas aprovou por unanimidade o relatório que aponta como crime de responsabilidade fiscal o que ficou conhecido como “pedaladas fiscais da gestão Dilma” e que pode fornecer à oposição o argumento que faltava para propor a abertura do processo de impeachment da presidenta.

É que o jornal Folha de São Paulo divulgou que o ministro Vital comparou as pedaladas ao uso de cheque especial sem autorização. E votou contra Dilma.

Segundo o TCU, o governo deixou de repassar ao Banco do Brasil, Caixa e BNDES cerca de 40 bilhões para pagamentos de seguro-desemprego, Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, Crédito Agrícola e PSI ( programa de Ssuetentaçaõ de Investimentos) e os bancos tiveram que cobrir com recursos próprios, o que é considerado empréstimo.

Para quem não sabe, crime de responsabilidade pode resultar na perda do cargo por até cinco anos e o pagamento de multa.

Apesar de uma indicação da presidenta para a vaga no TCU, o ministro Vital do Rego mostrou sua independência e votou contra o governo.