Notícias

Sumido do noticiário após renúncia do mandato de senador, Vital volta à cena com voto contra Dilma no TCU

Sumido do noticiário desde que renuciou ao mandato de senador para ser ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rego reapareceu ontem quando o Plenário daquela corte de contas aprovou por unanimidade o relatório que aponta como crime de responsabilidade fiscal o que ficou conhecido como “pedaladas fiscais da gestão Dilma” e que pode fornecer à oposição o argumento que faltava para propor a abertura do processo de impeachment da presidenta.

É que o jornal Folha de São Paulo divulgou que o ministro Vital comparou as pedaladas ao uso de cheque especial sem autorização. E votou contra Dilma.

Segundo o TCU, o governo deixou de repassar ao Banco do Brasil, Caixa e BNDES cerca de 40 bilhões para pagamentos de seguro-desemprego, Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, Crédito Agrícola e PSI ( programa de Ssuetentaçaõ de Investimentos) e os bancos tiveram que cobrir com recursos próprios, o que é considerado empréstimo.

Para quem não sabe, crime de responsabilidade pode resultar na perda do cargo por até cinco anos e o pagamento de multa.

Apesar de uma indicação da presidenta para a vaga no TCU, o ministro Vital do Rego mostrou sua independência e votou contra o governo.