Fale Conosco

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) marcou para o dia 17 de dezembro o julgamento do habeas corpus impetrado pela defesa do ex-diretor do Hospital Geral de Mamanguape, Eduardo Simões Coutinho, preso desde o início de outubro no âmbito da operação Calvário.

No dia 23 de outubro, o ministro Nefi Cordeiro, relator do caso na Corte, rejeitou um pedido de liminar para que Simões deixasse o Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice.

De acordo com as investigações “Eduardo Coutinho teve como chefe um dos maiores lobistas do Brasil, com diversas menções na Lava-jato, e estava diretamente responsável pela propina ligada ao IPCEP”.