Fale Conosco

Fui um dos que ficou sitiado na Baía da Traição neste final de semana, por causa de um acidente entre carro e moto, que matou um casal de índios e afetou, absurdamente, quem não tinha nada com isso.

Como todo problema é uma oportunidade disfarçada, aproveitei para botar toda a conversa atrasada em dia com o meu amigo Bruno Deriu, causídico de grande prestígio na região do Brejo.

Estávamos no restaurante Oca quando soubemos que, em protesto pelo atropelamento, os indígenas tinham decidido fechar a única via asfaltada de acesso à Baía e que o protesto duraria quatro dias, sem ninguém entrar ou sair motorizado.

Pois é, amigos Manoel Amâncio, Flávia, Fátima e Cícero, vocês não estavam desta vez quando as doze tribos fecharam os acessos, inclusive a saída por Barra de Camaratuba, e eu, Sellma, Bruno e Márcia fizemos do limão uma limonada, atualizando a conversa.

Enquanto nossas esposas contavam ao mundo a novidade do estado de sítio via redes sociais, o advogado me disse que esteve com o bravo promotor Marinho Mendes, verdadeiro herói da luta contra o esquadrão da morte em Guarabira, e que ele estava propenso para aceitar o desafio de sair candidato a prefeito de Bayeux.

Marinho Mendes é uma figura decente e, caso seja mesmo candidato, ajudará a população a se livrar da péssima gestão do prefeito Expedito Pereira, espécie de coveiro da cidade, enterrada toda vez que ele assume a prefeitura.

Lá pras tantas, nos lembramos de Betuca, um amigo comum de Guarabira, que já foi vereador, candidato a prefeito da Baía e hoje é uma espécie de consultor quando o assunto é aquele pedaço paradisíaco e seus milindres por está encravada no meio de uma reserva índígena.

Betuca, como sempre, foi preciso e mostrou uma trilha que nos levou até a rodovia e de lá pudemos finalmente voltar para nossas casas.

Cá para nós, eu que sou apaixonado pela Baía, voltarei mais e mais vezes, mas o turista que foi pra lá pela primeira vez, dificilmente volta.

Perder o direito de ir e vir não entra na cachola dos civilizados e o feriado do trabalhador acabou foi dando muito trabalho para quem foi para a Baía apenas descansar.