Fale Conosco

Passional, o chefe do policiamento do DETRAN, que ainda não sei o nome, mas sei que é um cabo do CPTRAN, tomou uma decisão que merece questionamento por parte da superintendência daquele órgão.

Primeiro ele me deu voz de prisão, saindo em defesa da esposa que enforcava o expediente da última quarta e deixou centenas de usuários prejudicados, pois só poderão pegar seus carros hoje; e agora ele revelou irresponsabilidade profissional ao postar nas redes sociais cenas que a diretoria do DETRAN poderá usar contra mim na Justiça e serão usadas por mim contra o DETRAN por exposição pública, pré julgamento e tentativa de linchamento da minha imagem,

As imagens foram gravadas quando do exercício de sua função e disponibilizá-las para que o jurídico adotasse providencias era o mais adequado.

Dando pistas de que resolveu retaliar politicamente o chefe do policiamento do DETRAN quebrou a hierarquia administrativa e decidiu me atacar nas redes sociais, editando as partes do vídeo que me deixam como vilão, apesar de acabar revelando que foi ele quem me provocou e saiu desmoralizado por não ter conseguido me prender.

Já expliquei pelo Facebook o que me levou àquela reação mostrada no vídeo e não vou aqui repetir. O que me causa estranheza é a fúria passional do chefe do policiamento do DETRAN e da militância girassol, em consonância, inclusive com clipes ditados que me descrevem, vejam só, como “cassista” e publicação em primeira mão no blog de Tião Lucena, corregedor da defendoria pública, público e notório como cão de guarda do governador.

Fui vítima de uma armação quando apenas reivindicava meus direitos como cidadão. Reagi com fúria, e podia ter sido mais frio, concordo, mas se não tivesse reagido da forma como reagi teria sido algemado e humilhado por quem foi enviado para me provocar.

Aquele cabo que comanda sargento era um jabuti e jabuti não sabe subir em árvore.