Fale Conosco

O fim da gestão do ex-prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSD) para muitos servidores municipais e fornecedores representou uma verdadeira dor de cabeça, pois segundo os mesmos há diversos compromissos em aberto, deixados para a gestão do prefeito Bruno Cunha Lima (PSD). Os compromissos vão de servidores cobrando seus direitos a entidades que prestam serviços de saúde.

Além da denúncia desta sexta-feira (22), por parte de centenas de servidores municipais da rede de ensino da Prefeitura de Campina Grande, cobrando a promessa feita pelo ex-prefeito Romero Rodrigues (PSD), não criticada pelo prefeito eleito Bruno Cunha Lima (PSD) de pagar o 14º salário a 13 escolas que também tiveram um bom desempenho no Índice da Educação Básica (Ideb) em Campina Grande, não foi cumprida até este sábado (23.01.2021), sendo este considerado um dos primeiros calotes da nova gestão na cidade. Outra denuncia veio à tona, trata-se do abandono do Hospital Dr. Edgley Maciel pelo ex-prefeito Romero Rodrigues, sendo esse abandono seguido pelo atual prefeito Bruno.

De acordo com postagem nas redes sociais, há um atraso de 21 meses no pagamento da locação do hospital, gerando uma dívida de mais de R$ 2 milhões. A população alega que a Secretaria Municipal de Saúde recebeu milhões em recursos do Governo Federal.

Nas imagens é possível ver que a estrutura do hospital está comprometida, com lavanderia desativava e mobiliário velho com vários pontos que necessitam de manutenção. O Centro de Referência em Tuberculose ao lado do Hospital de Clínicas, onde funcionava a CAPS INFANTIL, é outro calote deixado pro Romero, que está com o imóvel a três meses sem receber por parte da prefeitura, além de diversos fornecedores.

Confira: