Fale Conosco

O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto (PMDB-MA), aceitou nesta quinta-feira (10) uma denúncia contra o líder do PT na Casa, senador paraibano Lindbergh Farias (PT-RJ).

 Por se tratar de uma denúncia, e não de uma representação, as punições previstas são advertência ou censura (verbal ou escrita). Não cabe a punição com a perda temporária ou definitiva do mandato.

 Em nota, Lindbergh disse que a denúncia é “ridícula”, acrescentando que o Conselho de Ética está “desmoralizado” por ter arquivado um pedido de cassação do mandato de Aécio Neves (PSDB-MG). Para o líder do PT, o autor da denúncia, José Medeiros (PSD-MT), está “querendo aparecer”.

 O objetivo da denúncia é apurar se o petista feriu o decoro parlamentar ao bater-boca com senadores do conselho durante a reunião da última terça (8), na qual foi arquivada a denúncia contra senadoras da oposição.

 Por meio da assessoria, João Alberto disse que “há indícios de quebra de decoro” e, por isso, o caso deve ter continuidade.

 A denúncia

 A denúncia foi apresentada pelo senador José Medeiros (PSD-MT), mesmo parlamentar que apresentou a denúncia contra as oposicionistas que ocuparam a mesa do Senado para protestar contra a reforma trabalhista.

 Na reunião em que essa denúncia foi arquivada, Lindbergh tomou a palavra para dizer que o caso era “uma palhaçada”. O petista, então, bateu-boca com os senadores Gladson Cameli (PP-AC), Airton Sandoval (PMDB-SP), Sérgio Petecão (PSD-AC) e com o próprio João Alberto.

 Aos gritos, Lindergh dizia que era um “absurdo” o Conselho de Ética processar as senadoras sendo que havia arquivado um pedido de cassação do mandato de Aécio Neves (PSDB-MG).

 O tucano foi acusado de ter pedido e recebido dinheiro de propina de Joesley Batista, dono da JBS.

 Segundo a assessoria do presidente do conselho, será marcada uma reunião, ainda sem data prevista, para a escolha do relator da denúncia contra Lindbergh.

 Íntegra

Leia abaixo a íntegra da nota de Lindbergh:

 A denúncia contra mim é ridícula. Depois do arquivamento do caso do Aécio Neves, o Conselho de Ética do Senado Federal está desmoralizado. Eles precisam discutir o que é ética. No mais, o Senador Medeiros é apenas um oportunista sem voto querendo aparecer.

 

Fonte: G1